sicnot

Perfil

Tragédia em Pedrógão Grande

Tragédia em Pedrógão Grande

Tragédia em Pedrógão Grande

Cinco povoações ameaçadas pelas chamas no concelho de Góis 

O incêndio que lavra há cerca de 24 horas na freguesia de Alvares, no concelho de Góis, ameaça cinco povoações, disse à agência Lusa, a presidente do município, Lurdes Castanheira.

Cortes de Alvares, Fonte dos Sapos, Esteriana, Mega Fundeira e Mega Cimeira são as povoações isoladas da freguesia de Alvares, na zona de fronteira dos municípios de Góis e de Pampilhosa da Serra, no distrito de Coimbra, e de Pedrógão Grande e de Castanheira de Pera (distrito de Leiria), ameaçadas pelo incêndio, disse a presidente da Câmara de Góis.


As chamas que deflagraram ao final da tarde de sábado já destruíram "pelo menos sete habitações", acrescentou a autarca, indicando que o levantamento das casas e outros bens, designadamente produtos agrícolas e animais, está ainda a ser feito.


"De ontem para hoje, a freguesia de Alvares transformou-se num mar de cinzas", afirmou a autarca, sublinhando que "continua a ser muito o medo e o pânico" entre as pessoas daquela região.


Embora compreenda que não possam existir muitos mais meios envolvidos no combate às chamas, Lurdes Castanheira lamenta que não sejam disponibilizados mais meios de luta contra o fogo, designadamente aéreos.


A inexistência de vento parece ajudar a acalmar o incêndio, mas a autarca continua a temer o avanço das chamas e a consequente destruição de floresta, que naquela área é "muito densa", de terrenos e produtos agrícolas e de animais e, sobretudo, de habitações.


"Felizmente há muita solidariedade" de muitas pessoas e instituições, mas "a solidariedade não chega, nem apaga fogos", sublinhou.
O facto de se tratar de um período do ano com alguns feriados fez com que muitos naturais daquela região visitassem as suas terras natais, que permitiram que auxiliassem os seus poucos habitantes, essencialmente idosos, no combate ao incêndio e na evacuação de habitações.


"Foi possível salvar muitos animais [domésticos] , mas agora não há nada para os alimentar", relatou Lurdes Castanheira, adiantando que estão a ser providenciados meios para ultrapassar a situação.


Ao final da tarde, o fogo em Góis estava a ser combatido por centenas de operacionais, apoiados por meios terrestres e aéreos.

Lusa

  • Um pedido de desculpas aos portugueses e um ultimato ao Governo
    3:21
  • Vouzela tenta regressar à normalidade, 8 pessoas morreram no concelho
    2:28

    País

    No concelho de Vouzela, a população começa a voltar à normalidade. Aos poucos a luz e a água estão a voltar e as pessoas começam a ganhar forças para reconstruir aquilo que lhes foi tirado pelos fogos. No entanto, as feridas demoram a sarar e não será fácil esquecer que 80 a 90 por cento deste concelho foi destruído pelos incêndios e oito pessoas morreram.

  • Material de guerra de Tancos encontrado, faltam munições
    1:40
  • "Se os bombeiros não chegam, os vizinhos vão ficar sem casa"
    1:03
  • Madrid admite suspender autonomia da Catalunha
    1:51
  • Alemanha já tem uma versão de Donald Trump... em cera
    1:08