sicnot

Perfil

Tragédia em Pedrógão Grande

Tragédia em Pedrógão Grande

Tragédia em Pedrógão Grande

Como ajudar os bombeiros e as vítimas de Pedrógão?

Miguel A. Lopes

Muitos portugueses começam a mobilizar-se para que a ajuda chegue a Pedrógão Grande, onde ainda lavra o incêndio que fez mais de meia centena de mortos. Quartéis em todo o país recebem mantimentos que enviam para os locais mais afetados. O presidente da Liga de Bombeiros pede fruta e barras energéticas. A população pode ajudar com água, leite e barras energéticas. Entretanto, a Cáritas portuguesa já disponibilizou 200 mil euros para as vítimas e a Caixa Geral de Depósitos abriu uma conta solidária

Junto ao posto de comando, em Pedrógão Grande, ao início da tarde começavam a chegar bens de primeira necessidade.

Quem quiser ajudar deve dirigir-se a este ponto, como explicou o presidente da Liga dos Bombeiros Portugueses, Jaime Marta Soares, que apelou à população fruta e bens frescos para ajudar os homens envolvidos nas operações de combate às chamas.

O que deve doar:

- Água;

- Água com gás;

- Bolachas e barras energéticas;

- Leite e sumos;

Muitos são também os apelos que têm surgido também nas redes sociais:

Ajuda em Avelar

O campo de futebol do Atlético Clube Avelarense tornou-se o porto seguro de muitas famílias que fugiram às chamas. Foi onde muitos pernoitaram e aguardaram por notícias de familiares e amigos.É aqui que, também, pode dirigir-se se pretender ajudar as populações afetadas e os bombeiros.

Conta solidária CGD e 200 mil euros da Cáritas

A Caixa Geral de Depósitos (CGD) anunciou a abertura de uma conta solidária para com as vítimas dos incêndios que afetam Pedrógão Grande e outros dois concelhos do distrito de Leiria e a doação de 50 mil euros.

A conta designa-se "Unidos por Pedrógão" e os donativos podem ser feitos usando o IBAN PT50 0035 0001 00100000 330 42.


A Caritas portuguesa anunciou que tem já disponível uma verba de 200 mil euros para apoiar as vítimas.

"Quem necessitar pode dispor desses 200 mil euros", que pertencem à Cáritas Nacional. "Mas sabemos que em todas as dioceses, por iniciativa própria, se disponibilizam verbas que estejam na posse destas instituições" e que "podem ser postas à disposição".

"A seguir a isto, o grande trabalho vai ser reconstruir casas, devolver os trabalhos perdidos, ajudar pessoas que perderam os seus familiares", afirmou Eugénio da Fonseca, que recusa que o setor social substitua os apoios oficiais. E necessário "acionar os mecanismos legais", para agilizar os procedimentos burocráticos.

Gulbenkian constituiu fundo especial de 500 mil euros

A Fundação Calouste Gulbenkian decidiu constituir um fundo especial de 500 mil euros, para apoio às organizações da sociedade civil da região de Pedrógão Grande, afetada pelos incêndios deste fim de semana.

Em comunicado, a Fundação informou que os 500 mil euros são a dotação inicial do fundo, e servem para "ajudar a minimizar as consequências" dos incêndios e da tragédia que afetou os municípios de Pedrógão Grande, Figueiró dos Vinhos e Castanheira de Pera, onde morreram pelo menos 61 pessoas.

  • Vídeo mostra passagem da carrinha a alta velocidade nas Ramblas
    0:33

    Ataque em Barcelona

    O jornal espanhol El Pais divulgou hoje  as primeiras imagens da carrinha que matou 13 pessoas e feriu mais de 100 em Barcelona. O vídeo foi registado por  uma câmara de videovigilância de um museu nas Ramblas. Mostra pessoas a desviarem antes da passagem rápida da carrinha branca. Esta terá sido a parte final do percurso feito pelo veículo.

  • Castelo Branco aposta na cultura para preservar raízes e fomentar turismo
    5:26

    SIC 25 Anos

    Com perto de 200 mil habitantes, o distrito de Castelo Branco luta para criar projetos diferenciadores para atrair e ancorar a população. O desemprego tem vindo a baixar, numa região fortemente envelhecida. A capital do distrito aposta na cultura para preservar as raízes e fomentar o turismo, e a Universidade da Beira Interior tem cada vez mais alunos estrangeiros.