sicnot

Perfil

Tragédia em Pedrógão Grande

Tragédia em Pedrógão Grande

Tragédia em Pedrógão Grande

Homem salvou família numa carrinha em fuga por entre as chamas

Rafael Marchante

Um homem de 33 anos de idade, cuja casa, no concelho de Figueiró dos Vinhos, ficou "totalmente destruída" pelo fogo, no sábado, salvou-se a si e à família fugindo das chamas numa carrinha.

"As labaredas batiam muito forte na carrinha, ainda fui contra um pinheiro e andei por valetas", disse Hugo Manuel Almeida Santos, que falava hoje, à agência Lusa, no Hospital de Avelar, no concelho de Ansião (distrito de Leiria), onde o pai, de 57 anos de idade e com "muito pouca mobilidade", está internado, por não ter onde ficar.

"A casa ardeu toda, ficou tudo queimado, fiquei sem nada", relatou Hugo Santos, que hoje voltou ao local onde residia, em Figueira, "mesmo junto ao IC8 [itinerário complementar 8] , na freguesia da Graça, no concelho de Pedrógão Grande, e onde "está tudo, mesmo tudo, desfeito em cinza e carvão.

"Ninguém sabe explicar" como Hugo Santos se conseguiu salvar a si, ao pai, à mulher e à filha, de 11 anos de idade.

"Temi pela vida de nós todos, pensei que ficávamos lá todos", repetiu, recordando que as chamas "bateram" de forma insistente na viatura, cujo controlo, "por várias vezes", sentiu que podia perder.

Hugo Santos também não consegue encontrar palavras para contar como se salvou, nem como tudo aconteceu -- "nunca, por nunca, vi uma coisa comparável a esta", assegurou, referindo-se ao modo como o incêndio deflagrou e à intensidade com que alastrou.

O pai de Hugo Santos é o único dos cerca de 30 feridos que está internado na Unidade de Cuidados Continuados/Hospital da Fundação Nossa Senhora da Guia, onde no sábado e hoje foram assistidos por terem sido vitimados pelo fogo de Pedrógão Grande, Castanheira de Pera e Figueiró dos Vinhos, no norte interior do distrito de Leiria.

O internamento mantém-se por "motivos sociais" e não tanto por razões de saúde, disse à agência Lusa um responsável pelo estabelecimento.

Dos feridos que ali deram entrada já todos tiveram alta médica ou foram reencaminhados para o Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra, mas "nenhum sofreu ferimentos que possam ser considerados graves, são todos feridos ligeiros", acrescentou a mesma fonte.

Depois de uma noite e madrugada dominadas por um "invulgar" movimento de feridos e meios de socorro, o hospital da vila de Avelar regista hoje o "movimento calmo", próprio de um domingo.

Só algumas ambulâncias estacionadas junto à entrada do estabelecimento, para a eventualidade de terem de entrar em ação naquela região, coberta de fumo, mas com as chamas a alguma distância, tornavam o ambiente algo diferente do habitual no hospital, onde, a meio da tarde, se deslocaram o secretário de Estado da Saúde, Manuel Delgado, e do presidente da Administração Regional de Saúde (ARS) do Centro, José Tereso.

Segundo o balanço feito pelas 16:00, pelo menos 61 pessoas morreram no incêndio que atinge Pedrógão Grande e outros dois concelhos do distrito de Leiria desde sábado, disse hoje o secretário de Estado da Administração Interna, Jorge Gomes.

O fogo deflagrou ao início da tarde de sábado numa área florestal em Escalos Fundeiros, em Pedrógão Grande (distrito de Leiria), e alastrou-se aos municípios vizinhos de Castanheira de Pera e Figueiró dos Vinhos, obrigando a evacuar povoações e deixando-as isoladas.

O primeiro-ministro, António Costa, afirmou que o incêndio terá sido causado por trovoadas secas, salientando, no entanto, que "é prematuro tirar ilações" sobre o que aconteceu.

Lusa

  • A easyJet não está a oferecer bilhetes no Facebook. Cuidado, é uma burla

    País

    Se esteve no Facebook nos últimos dias, provavelmente reparou na oferta de dois bilhetes para uma viagem da easyJet, a propósito do 22.º aniversário da companhia aérea britânica. Uma viagem para dois tinha tudo para correr bem, não fosse um esquema de burla, criado para obter os dados pessoais dos utilizadores que partilham a publicação na rede social.

  • Brasileiros procuram Portugal
    3:59

    País

    Viver em Portugal é hoje em dia um grande sonho da classe média brasileira. De acordo com o Ministério dos Negócios Estrangeiros, só em 2016, o número de vistos de residência aumentarem em mais de 30%. A língua, a segurança e a qualidade de vida são as razões apontadas para a mudança. Todos os dias, no consulado português no Rio de Janeiro, para a obtenção de vistos.

  • Big Ben em silêncio durante quatro anos
    2:15

    Mundo

    Esta segunda-feira ficou marcada pelas últimas badaladas dos famosos sinos do Big Ben, em Londres, no Reino Unido. A torre, na qual está instalada o relógio mais famoso do mundo, vai entrar em obras e os sinos só vão voltar a tocar em 2021.

  • Garrafa lançada ao mar em Rhodes recebe resposta de Gaza
    1:43

    Mundo

    A história parece de filme, mas aconteceu numa praia de Gaza. Um casal britânico lançou uma garrafa com uma mensagem ao mar, em julho, na ilha grega de Rhodes. A garrafa foi encontrada por um pescador numa praia de Gaza, que aproveitou para enviar a resposta, na qual falou sobre as restrições impostas por Israel.