sicnot

Perfil

Tragédia em Pedrógão Grande

Tragédia em Pedrógão Grande

Tragédia em Pedrógão Grande

Seleção portuguesa solidária com vítimas do incêndio joga com fumos negros contra o México

Francisco Paraiso / Lusa

A seleção portuguesa de futebol presente na Rússia, palco da Taça das Confederações, solidária com as vítimas do incêndio rural que deflagrou no sábado em Pedrógão Grande, no distrito de Leiria vai jogar hoje frente ao México com fumos negros. A FIFA autorizou minuto de silêncio antes da partida.

"O dia em que iniciamos a participação na Taça das Confederações é igualmente um dia de grande consternação e dor para o País que orgulhosamente representamos", começa por referir o comunicado assinado por todos os elementos da comitiva lusa, em Kazan.
Segundo a nota publicada no site oficial da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), "a tragédia ocorrida em Pedrógão Grande, que reclamou a vida de tantos dos nossos compatriotas, não pode deixar ninguém indiferente".
"Nesta hora tão triste, enviamos as mais sentidas condolências às famílias, amigos e entes queridos das vítimas dos incêndios", refere ainda a comitiva.
Para o jogo de hoje com o México, que assinala a estreia absoluta de Portugal na Taça das Confederações, 'balão de ensaio' para o Mundial2018, promete levar a memória da tragédia.
"Se temos consciência de que meras palavras não poderão minimizar a vossa dor que também é nossa, dizemos-vos, ainda assim, que hoje em campo levaremos o vosso coração no nosso coração", concluiu a comitiva.
Um novo balanço do incêndio que deflagrou no sábado em Pedrógão Grande, dá conta de 57 mortos. O número de feridos mantém-se nos 59, de acordo com o balanço feito pelas 10:00.
A seleção portuguesa estreia-se hoje na Taça das Confederações, em Kazan, Rússia, frente ao México, o único ex-campeão em prova e um dos principais adversários na luta pelo apuramento no Grupo A.

Lusa

  • Como se sobrevive à dor em Nodeirinho e Pobrais
    2:43
  • Raphäel Guerreiro vai continuar a acompanhar a seleção
    1:08
  • 74 mil alunos do secundário têm a vida "suspensa" 
    2:22

    País

    Enquanto o Ministério Público investiga a fuga de informação no exame nacional de Português do 12.º ano, 74 mil estudantes ficam com a vida suspensa. Se a fuga se confirmar, o exame corre o risco de ser anulado e as candidaturas ao ensino superior atrasam. O Instituto de Avaliação Educativa (IAVE), responsável pelos exames, prometeu esclarecimentos para os próximos dias.