sicnot

Perfil

Tragédia em Pedrógão Grande

Como um cão sobreviveu às chamas perto da estrada da morte

Como um cão sobreviveu às chamas perto da estrada da morte

À volta da N236, que já ficou conhecida como a estrada da morte, o cenário é de destruição. Mas no meio da tragédia, numa das muitas quintas apanhadas pelas chamas, há uma história com final feliz. O cão que aparece nas imagens captadas por um drone da SIC, preso com trela e ao lado de um bebedouro, afinal já está com os donos.

Atualizado às 20:18

A quinta onde estava o cão ardeu apenas parcialmente. Uma das partes da propriedade, onde estavam também os restantes animais, escapou à violência do incêndio.

Nas primeiras horas do incêndio, muitos pensaram o pior mas os donos e os animais sobreviveram à tragédia de Pedrógão Grande. E já estão juntos.

  • "A nossa lei tem demasiados buracos"
    0:44

    País

    Rui Cardoso acusa a classe política de não querer resolver os problemas da corrupção em Portugal. Entrevistado na Edição da Noite da SIC Notícias o magistrado do Ministério Público considera que ainda há um longo caminho a percorrer no combate à corrupção.

  • Salah Abdeslam deixa cadeira vazia na leitura da sua sentença
    2:05

    Mundo

    O único suspeito vivo dos ataques de Paris em 2015 foi esta segunda-feira condenado a 20 anos de prisão por um tribunal belga, num processo paralelo: um tiroteio em março de 2016, em Bruxelas. Tanto Salah Abdeslam como o cúmplice não quiseram estar na leitura da sentença. O julgamento de Salah Abdeslam pelos ataques de Paris só deverá acontecer no próximo ano, em França.

  • Beyoncé e a irmã caem e o vídeo torna-se viral

    Cultura

    Beyoncé voltou este fim de semana a subir ao palco do Coachella, depois de ter atuado na primeira semana do festival que decorreu no deserto da Califórnia, nos EUA. A cantora norte-americana voltou a brilhar, mas foi o momento em que caiu no palco com a irmã, Solange, que acabou por se tornar viral.

    SIC

  • Cientistas querem sequenciar genomas de 15 milhões de espécies

    Mundo

    Um consórcio internacional de cientistas, que por enquanto não inclui portugueses, propõe-se sequenciar, catalogar e analisar os genomas (conjuntos de informação genética) de 15 milhões de espécies, uma tarefa que levará dez anos a fazer, foi divulgado esta segunda-feira.