sicnot

Perfil

Tragédia em Pedrógão Grande

Tragédia em Pedrógão Grande

Tragédia em Pedrógão Grande

Primeiro-ministro do Canadá apresenta condolências a todos os portugueses

Chris Wattie

O primeiro-ministro do Canadá, Justin Trudeau, apresentou, através das redes sociais, uma mensagem de condolências a todos os portugueses pelo incêndio que deflagrou em Pedrógão Grande, fazendo 64 mortos.

"Para Portugal. De seus compatriotas no Canadá - O Nosso Amor e Simpatias", referiu Justin Trudeau, em português, no início da publicação na sua página da rede social Facebook. Depois, em inglês e em francês, as línguas oficiais do Canadá, o líder do Governo federal manifestou-se triste pelas "más notícias vindas de Portugal".

"Que más notícias de Portugal. Os nossos pensamentos estão com as famílias e os seus entes queridos que perderam as vidas no incêndio deste fim de semana", lamentou.

Também a deputada federal luso-canadiana, eleita por Brossard -St-Lambert (Quebeque), Alexandra Mendes, discursou no parlamento em Otava, e apresentou as condolências a todo o povo português e a todos os canadianos de origem portuguesa.

"Nunca posso imaginar a devastação que se abateu sobre aquelas famílias. Apresento as sinceras condolências ao povo de Portugal e aos canadianos de origem portuguesa, dos quais também faço parte. Esta foi uma catástrofe horrível, com 64 mortes, número que pode aumentar", referiu, perante a câmara dos comuns.

Alexandra Mendes sublinhou ainda o apoio da União Europeia, que disponibilizou um mecanismo de "auxílio moral e apoio logístico para a catástrofe" e, também, a diáspora que irá "disponibilizar uma forte ajuda a todas as aldeias e vítimas do incêndio".

"Peço a todos (deputados) que também contribuam, porque Portugal é de facto fado e alegria, e com a ajuda de todos vamos voltar a sorrir", apelou.

Também a deputada federal eleita pelo distrito eleitoral da Davenport (Toronto), Julie Dzerowicz, mostrou-se chocada, através das redes sociais, pelo número de vítimas mortais do incêndio. "Estou muito triste por saber o número de vítimas mortais. Quero expressar as minhas mais sinceras condolências às famílias afetadas", afirmou.

A deputada provincial eleita pela Davenport (Toronto), Cristina Martins, frisou no Twitter os três dias de luto nacional e lembrou que esta foi a "maior perda de vidas humanas" dos últimos anos em Portugal.

A vereadora da Câmara Municipal de Toronto, Ana Bailão, agradeceu a todos aqueles "corajosos que estão a combater os fogos", enviando os seus pensamentos e orações para todas as vítimas "afetadas pelo incêndio".

O incêndio que deflagrou no sábado à tarde em Pedrógão Grande, no distrito de Leiria, provocou pelo menos 64 mortos e mais de 130 feridos, segundo um balanço provisório divulgado na segunda-feira.

O fogo começou em Escalos Fundeiros e alastrou depois a Figueiró dos Vinhos e Castanheira de Pera, no distrito de Leiria. Desde então, as chamas chegaram aos distritos de Castelo Branco, através do concelho da Sertã, e de Coimbra, pela Pampilhosa da Serra.

Este incêndio já consumiu cerca de 26.000 hectares de floresta, de acordo com dados do Sistema Europeu de Informação de Incêndios Florestais.

O comandante operacional da Proteção Civil, Vítor Vaz Pinto, disse hoje à Lusa estar confiante de que o incêndio vai ser dado como dominado em 24 horas, caso não haja alteração das condições atmosféricas.

Lusa

  • "Serei o Presidente de todos os angolanos"
    2:06
  • Costa de Metro de Odivelas para Lisboa para relembrar corrida entre burro e Ferrari
    2:55

    Autárquicas 2017

    António Costa começou hoje o dia de campanha em Odivelas, para uma viagem de Metro até Lisboa, em que recordou a célebre corrida entre um burro e um Ferrari que protagonizou em 1993 quando foi canditado do PS à Câmara de Loures. Foi nesta cidade, onde ontem à noite, que desferiu um violento ataque a Pedro Passos Coelho, acusando-o de transformar o PSD num partido que não é digno de um Estado democrático.

  • O aeroporto de Beja, um "elefante branco" na planície alentejana
    4:33
  • Supervisão bancária origina novo diferendo entre Carlos Costa e Governo
    0:57

    Economia

    Reacendeu-se a guerra entre o Governo e o governador do Banco de Portugal. Em conferência na sede do banco, esta segunda-feira, Carlos Costa deixou uma crítica indireta ao novo modelo de supervisão bancária. O ministro das Finanças, Mário Centeno, não gostou e exigiu a Carlos Costa que se retratasse, mas o governador recusou-se.

  • Paciente há 15 anos em estado vegetativo consegue seguir objetos e mexer a cabeça

    Mundo

    Um homem de 35 anos, que ficou em estado vegetativo após um acidente de viação há 15 anos, deu sinais de consciência depois de lhe ter sido aplicada uma nova técnica de estimulação nervosa. Cirurgiões implantaram no paciente um pequeno aparelho que estimula o nervo vago, responsável pela ligação nervosa entre o cérebro e o resto do corpo. A intervenção aconteceu em França e a descoberta foi publicada na revista científica Current Biology.