sicnot

Perfil

Tragédia em Pedrógão Grande

Tragédia em Pedrógão Grande

Tragédia em Pedrógão Grande

Primeiro-ministro do Canadá apresenta condolências a todos os portugueses

Chris Wattie

O primeiro-ministro do Canadá, Justin Trudeau, apresentou, através das redes sociais, uma mensagem de condolências a todos os portugueses pelo incêndio que deflagrou em Pedrógão Grande, fazendo 64 mortos.

"Para Portugal. De seus compatriotas no Canadá - O Nosso Amor e Simpatias", referiu Justin Trudeau, em português, no início da publicação na sua página da rede social Facebook. Depois, em inglês e em francês, as línguas oficiais do Canadá, o líder do Governo federal manifestou-se triste pelas "más notícias vindas de Portugal".

"Que más notícias de Portugal. Os nossos pensamentos estão com as famílias e os seus entes queridos que perderam as vidas no incêndio deste fim de semana", lamentou.

Também a deputada federal luso-canadiana, eleita por Brossard -St-Lambert (Quebeque), Alexandra Mendes, discursou no parlamento em Otava, e apresentou as condolências a todo o povo português e a todos os canadianos de origem portuguesa.

"Nunca posso imaginar a devastação que se abateu sobre aquelas famílias. Apresento as sinceras condolências ao povo de Portugal e aos canadianos de origem portuguesa, dos quais também faço parte. Esta foi uma catástrofe horrível, com 64 mortes, número que pode aumentar", referiu, perante a câmara dos comuns.

Alexandra Mendes sublinhou ainda o apoio da União Europeia, que disponibilizou um mecanismo de "auxílio moral e apoio logístico para a catástrofe" e, também, a diáspora que irá "disponibilizar uma forte ajuda a todas as aldeias e vítimas do incêndio".

"Peço a todos (deputados) que também contribuam, porque Portugal é de facto fado e alegria, e com a ajuda de todos vamos voltar a sorrir", apelou.

Também a deputada federal eleita pelo distrito eleitoral da Davenport (Toronto), Julie Dzerowicz, mostrou-se chocada, através das redes sociais, pelo número de vítimas mortais do incêndio. "Estou muito triste por saber o número de vítimas mortais. Quero expressar as minhas mais sinceras condolências às famílias afetadas", afirmou.

A deputada provincial eleita pela Davenport (Toronto), Cristina Martins, frisou no Twitter os três dias de luto nacional e lembrou que esta foi a "maior perda de vidas humanas" dos últimos anos em Portugal.

A vereadora da Câmara Municipal de Toronto, Ana Bailão, agradeceu a todos aqueles "corajosos que estão a combater os fogos", enviando os seus pensamentos e orações para todas as vítimas "afetadas pelo incêndio".

O incêndio que deflagrou no sábado à tarde em Pedrógão Grande, no distrito de Leiria, provocou pelo menos 64 mortos e mais de 130 feridos, segundo um balanço provisório divulgado na segunda-feira.

O fogo começou em Escalos Fundeiros e alastrou depois a Figueiró dos Vinhos e Castanheira de Pera, no distrito de Leiria. Desde então, as chamas chegaram aos distritos de Castelo Branco, através do concelho da Sertã, e de Coimbra, pela Pampilhosa da Serra.

Este incêndio já consumiu cerca de 26.000 hectares de floresta, de acordo com dados do Sistema Europeu de Informação de Incêndios Florestais.

O comandante operacional da Proteção Civil, Vítor Vaz Pinto, disse hoje à Lusa estar confiante de que o incêndio vai ser dado como dominado em 24 horas, caso não haja alteração das condições atmosféricas.

Lusa

  • Atropelamento em Copacabana fere 15 e mata bebé de 18 meses
    1:13

    Mundo

    Pelo menos uma pessoa morreu e 15 ficaram feridas num atropelamento na praia de Copacabana, no Rio de Janeiro, no Brasil. O condutor, um homem de 41 anos, diz ter perdido o controlo do carro, invadiu a calçada, percorreu 15 metros e só parou no areal de uma das zonas mais turísticas do Brasil. A polícia militar confirmou, entretanto, em comunicado que não há qualquer indício de que se tenha tratado de um ataque terrorista e avançou que o condutor sofreu um ataque de epilepsia.

  • A casa dos horrores
    7:57
  • PGR e presidente do Supremo deixam recado à ministra da Justiça
    2:45
  • Rui Rio tem sentido "alguma turbulência" no PSD
    2:01

    País

    Rui Rio e Pedro Passos Coelho tiveram esta quinta-feira a primeira reunião, desde que foi eleito o novo líder do PSD. À saída, Passos Coelho desejou que esta transição decorra com naturalidade. Já Rui Rio disse que tem sentido alguma turbulência no partido.

  • Sindicatos rejeitam fim das baixas médicas até três dias
    2:02

    País

    A CGTP quer levar o tema das baixas médicas à Concertação Social, já a UGT diz que há outras matérias prioritárias. Ainda assim as duas centrais sindicais lembram que a não justificação de faltas pode dar origem a um despedimento por justa causa. Esta quinta-feira o bastonário da Ordem dos Médicos propôs ao Governo que acabe com as baixas de curta duração, até três dias.

  • Papa interrompe percurso no Chile para ajudar polícia
    0:21
  • "Mundo à Vista" no Gana
    7:38