sicnot

Perfil

Tragédia em Pedrógão Grande

Tragédia em Pedrógão Grande

Tragédia em Pedrógão Grande

Parlamento aprova voto de pesar e remete debate para mais tarde

O parlamento aprovou hoje por unanimidade um voto de pesar pelas vítimas dos incêndios dos últimos dias no centro do país, remetendo para mais tarde o debate sobre a "avaliação das ações e das políticas do Estado".

"A Assembleia da República estará, como sempre no centro dos debates que contam e que os portugueses exigem", lê-se no texto aprovado por unanimidade e subscrito por todos os partidos e pelo presidente da Assembleia da República, no final de uma sessão solene de homenagem às vítimas dos incêndios que já fizeram 64 mortos e mais de 200 feridos desde sábado.

No voto, defende-se um debate e um "balanço informado" sobre o que aconteceu desde sábado no centro do país, nos concelhos de Pedrógão Grande, Castanheira de Pera, Figueiró dos Vinhos, Pampilhosa da Serra e Góis.

"Numa democracia adulta e consolidada como a nossa, há sempre lugar para balanços informados e para a necessária avaliação das ações e das políticas do Estado", lê-se ainda no documento.

No texto, é transmitida "a mais profunda solidariedade" às famílias em luto e ao esforço "dos Bombeiros, da Proteção Civil, das Forças Armadas e das Forças e Serviços de Segurança, bem como das Autoridades Municipais e da Segurança Social no terreno".

Lusa

  • Caixa multibanco assaltada em Portugal a cada dois dias
    2:43

    País

    O semanário Expresso conta que a mulher que morreu vítima de um disparo de agentes da PSP foi atingida pelas costas. O caso está a ser investigado pela PJ, que procura encaixar as peças da noite que acabou com uma morte inocente mas que começou com uma perseguição a um grupo de assaltantes de um multibanco. Assaltos que são cada vez mais comuns e que preocupam o Governo. A cada dois dias, uma caixa é assaltada.

  • Metro de Lisboa vai reduzir consumo de água

    País

    O Metro de Lisboa colocou em prática um programa para reduzir o consumo de água devido à situação de seca em Portugal, respondendo assim ao apelo do Ministério do Ambiente, segundo um comunicado divulgado este sábado.