sicnot

Perfil

Tragédia no Tejo

Tragédia no Tejo

Tragédia no Tejo

Buscas para encontrar criança desaparecida no Tejo suspensas até amanhã

As buscas para encontrar a criança de quatro anos desaparecida desde segunda-feira após ter caído ao rio Tejo, junto à praia de Caxias, Oeiras, foram suspensas às 18:15 desta quarta-feira e serão retomadas às 7:30 de amanhã.

Pedro Nunes / Lusa

De acordo com o comandante Malaquias Domingues, da Capitania de Lisboa, o mau tempo não permite que as operações de salvamento continuem por hoje.

"Hoje terminámos mais cedo porque a chuva continua muito forte e retirou muito da luz do dia. Já estamos com muito pouca luz e por isso há pouca produtividade".

Tal como hoje, as buscas serão retomadas na quinta-feira às 7:30, naquele que poderá ser o último dia de operações.

"Teremos os mesmos meios de hoje: três embarcações, em toda a zona de interesse, duas equipas de mergulhadores e agentes da Polícia Marítima em terra", acrescentou Malaquias Domingues.

Uma criança de 19 meses morreu e outra de quatro anos está desaparecida desde segunda-feira à noite na praia de Caxias. O alerta foi dado por uma testemunha que viu uma mulher sair da água, em pânico e em avançado estado de hipotermia e a afirmar que as suas duas filhas estavam dentro de água.

A criança de 19 meses foi resgatada e alvo de tentativa de reanimação, mas sem sucesso.

A mãe das crianças, de 37 anos, foi transferida para o Hospital Santa Maria, em Lisboa, e hoje foi detida pela Polícia Judiciária, por suspeita de duplo homicídio, sendo presente, à tarde, a interrogatório judicial no Tribunal de Cascais.

Ainda não são conhecidas as medidas de coação.

Fonte da Comissão Nacional de Proteção de Crianças e Jovens em Risco da Amadora adiantou que a família estava sinalizada e que a mulher já tinha apresentado queixa em novembro na polícia por violência doméstica e suspeita de abusos sobre as meninas por parte do pai.

Lusa

  • Incêndios em Portugal - um mês depois
    9:10

    Reportagem Especial

    Regressar a casa para refazer a vida é tudo o que querem as famílias a quem o fogo levou quase tudo, há cerca de um mês. Contudo, esse regresso não tem sido fácil. Depois dos incêndios, famílias e empresas ainda têm de vencer as burocracias. A Reportagem Especial deste sábado regressa a Seia, onde arderam mais de 70 casas de primeira habitação e onde a vida de muitos parece ter entrado num impasse.

  • Caixa multibanco assaltada em Portugal a cada dois dias
    2:43

    País

    O semanário Expresso conta que a mulher que morreu vítima de um disparo de agentes da PSP foi atingida pelas costas. O caso está a ser investigado pela PJ, que procura encaixar as peças da noite que acabou com uma morte inocente mas que começou com uma perseguição a um grupo de assaltantes de um multibanco. Assaltos que são cada vez mais comuns e que preocupam o Governo. A cada dois dias, uma caixa é assaltada.

  • Metro de Lisboa vai reduzir consumo de água

    País

    O Metro de Lisboa colocou em prática um programa para reduzir o consumo de água devido à situação de seca em Portugal, respondendo assim ao apelo do Ministério do Ambiente, segundo um comunicado divulgado este sábado.