sicnot

Perfil

Tragédia no Tejo

"Autos indiciam suficientemente a prática de dois crimes de homicídio qualificado"

"Autos indiciam suficientemente a prática de dois crimes de homicídio qualificado"

A mulher suspeita do homicídio das duas filhas na praia de Caxias, em Oeiras, ficou em prisão preventiva após primeiro interrogatório judicial. O Tribunal de Cascais decretou que Sónia Lima vai aguardar na cadeia o desenrolar do processo. Ela responderá em tribunal por dois crimes de homicídio qualificado.

"Os autos indiciam suficientemente a prática de dois crimes de homicídio qualificado, isto não obstante o corpo da menor Samira ainda não ter sido encontrado até ao momento", referiu o funcionário judicial, referindo-se à menina mais velha.

  • Retomadas buscas para localizar criança desaparecida no Tejo
    1:55

    Tragédia no Tejo

    As buscas para encontrar a criança de 3 anos desaparecida no Tejo voltaram a ser retomadas esta manhã, naquele que será o ultimo dia das operações na zona de Caxias. O corpo da criança desaparecida na segunda-feira, já poderá estar no mar, admitiu o comandante Malaquias Domingues, adiantando que as buscas foram retomadas às 7:30 de hoje.Depois da detenção da mãe, aguardam-se também os resultados da autópsia feita à menina de 19 meses, que vão determinar se esta já estava morta antes de ser levada para o mar.

  • Tragédia no Tejo em análise
    5:30

    Tragédia no Tejo

    O psiquiatra José Gameiro e Armando Leandro, presidente da Comissão Nacional de Proteção de Menores, comentam a tragédia desta semana na zona de Caxias, onde a mãe e duas filhas caíram ao rio Tejo.

  • Tragédia no Rio Tejo: os factos
    2:58

    Tragédia no Tejo

    O alerta para o desaparecimento das crianças no rio Tejo foi dado pela própria mãe, quando foi encontrada em choque e em estado de hipotermia, na noite de segunda-feira. Explicou que tinham caído as três à água, na zona de Caxias, mas as autoridades começaram, de imediato, a investigar uma possível tentativa de suicídio.

  • Luaty Beirão satisfeito com sinais de mudança de paradigma em Angola
    4:03

    Mundo

    Sete meses depois da tomada de posse de João Lourenço como presidente de Angola, o país vive um tempo de revoluções. Mudanças inéditas que, nas palavras do ativista Luaty Beirão, permitem ter esperança num futuro melhor. O músico esteve em Lagos, a convite da Câmara Municipal, para falar sobre Livros e Liberdade.

  • O portal onde pode consultar certidões e outros documentos sem sair de casa
    7:37
  • Presidente da Comunidade de Madrid demite-se depois da divulgação de vídeo de roubo
    1:27