sicnot

Perfil

TSU/PEC

PCP rejeita "plano B" para compensar empresas pela subida de salário mínimo

© Rafael Marchante / Reuters

O secretário-geral do PCP rejeitou esta sexta-feira viabilizar alternativas que compensem a eliminação da descida da Taxa Social Única (TSU), considerando que o aumento do Salário Mínimo Nacional (SMN) "não tem de arrastar qualquer bónus para as empresas".

No final de um encontro com a Associação Intervenção Democrática - que integra a CDU, em períodos eleitorais - e questionado se o PCP poderá apoiar algum "plano B" do Governo para compensar as empresas do provável "chumbo" no parlamento da descida da TSU, Jerónimo de Sousa respondeu negativamente.

"Não, o PCP continua a considerar que é estar a misturar o que não deve ser misturado, o aumento do SMN e bónus para as empresas, isso deve ser claramente separado", frisou.

"Não consideramos que haja necessidade de alternativas. O quadro do aumento do SMN foi verificado (...) não tinha que arrastar qualquer bónus ou qualquer compensação para as empresas, para o patronato", justificou.

Na próxima quarta-feira serão debatidas e votadas na Assembleia da República apreciações parlamentares de PCP e BE que pedem a eliminação da descida da TSU para os empregadores em 1,25 pontos percentuais (aprovada em concertação social, a par do aumento do SMN de 530 para 557 euros), que deverão ser aprovadas com o voto favorável do PSD.

Questionado se esta posição do PCP pode pôr em causa a estabilidade da atual solução governativa, Jerónimo de Sousa voltou a referir que os comunistas apenas estão comprometidos com a posição conjunta que assinaram com o PS.

"Hoje, particularmente o PSD, está a ser vítima do próprio engano que criou: sempre foi claro que aquilo que determina a convergência e compromisso com o PS está inscrito na posição conjunta que define esse grau de compromisso e nível de convergência", disse.

Para o secretário-geral do PCP, o partido está livre de manifestar as suas divergências a cada momento, uma vez que "não há nenhum acordo parlamentar nem governativo", lembrando que tal já aconteceu no passado - quando foi o PSD a viabilizar a resolução do Banif - e vaticinando que se repetirá no futuro.

"Vamos encontrar num futuro próximo outras convergências, outras divergências, não dramatizamos, estamos a ser coerentes com o que nos comprometemos nessa posição conjunta", afirmou.

Sobre o encontro com os dirigentes da Intervenção Democrática (ID), Jerónimo de Sousa enquadrou-o nas decisões tomadas no último congresso do partido, de apresentar as principais conclusões da reunião magna a outros partidos e movimentos.

"Tendo em conta a sua participação e empenhamento na CDU e tendo em conta a proximidade das eleições autárquicas, viemos dialogar na perspetiva dessa participação se confirmar", disse.

Lusa

  • A rã que brilha no escuro
    2:08
  • Indonésio encontrado dentro de cobra pitão

    Mundo

    Akbar Salubiro, de 25 anos, esteve perto de 24 horas desaparecido na remota ilha indonésia de Sulawesi. Acabou por ser encontrado um dia depois, no jardim da própria casa, dentro de uma pitão de 7 metros.