sicnot

Perfil

TSU/PEC

CDS defende que instituições não vivem os "melhores dias"

MANUEL DE ALMEIDA

O CDS-PP defendeu esta quarta-feira que o processo do chumbo da TSU revelou que as instituições não vivem os "melhores dias" e que "pela primeira vez" as forças que apoiam um Governo lhe retiram condições de cumprir a palavra.

"Se tudo isto é banal, uma maioria que se desfaz a cada dificuldade, um primeiro-ministro que mente no exercício de funções, um Governo que falta à palavra, se tudo isto ocorre pacificamente, o país e as suas instituições não estão, não podem estar, a viver os seus melhores dias", acusou o deputado Filipe Anacoreta Correia.

Numa intervenção no debate que culminou com o chumbo da descida da Taxa Social Única (TSU) paga pelos empregadores, conforme acordado em concertação social, como medida de compensação pelo aumento do salário mínimo nacional, o CDS reiterou que "o contexto em que ocorre esta votação é da exclusiva responsabilidade do Governo".

Filipe Anacoreta argumentou que este é "um Governo que tem o apoio de quem lhe retira condições de cumprir a sua palavra". "É pela primeira vez na nossa democracia que uma circunstância destas ocorre.

A geringonça continua a fazer história, infelizmente, para nós, por más razões. No CDS lamentamos esta ligeireza, esta falta de rigor, esta total ausência de sentido de Estado", declarou. Reiterando que os centristas privilegiam a concertação social e defendem um aumento de salário mínimo que seja decidido nessa sede, Filipe Anacoreta sublinhou que "o CDS é a favor de medidas que retirem custos de produção e ajudem as IPSS e a competitividade das empresas".

Filipe Anacoreta sublinhou as propostas que o CDS apresentará para compensar as empresas e as instituições sociais do chumbo da descida da TSU paga pelos empregadores. PSD, Bloco de Esquerda, PCP e PEV revogaram hoje no parlamento o decreto do Governo que previa uma descida temporária da TSU dos empregadores em 1,25 pontos percentuais como compensação pelo aumento do salário mínimo nacional para 557 euros em 2017. CDS e PAN abstiveram-se.

Lusa

  • Redução da TSU chumbada

    TSU/PEC

    A redução da Taxa Social Única para as empresas foi chumbada esta tarde no Parlamento, com os votos contra do PCP, Bloco de Esquerda, PEV e PSD e a abstenção do CDS-PP e do PAN.

  • Vieira da Silva mantém que o Governo entendia que este era um bom acordo
    0:36

    Economia

    Na reação logo a seguir ao chumbo da Taxa Social Única, o ministro do Trabalho disse que a questão agora voltar à discussão com os parceiros sociais. Vieira da Silva fez questão de vincar que, para o governo, este era um bom acordo de concertação social. Tal como esperado, a descida da TSU para os patrões foi chumbada esta tarde no Parlamento, com o PCP, o Bloco, Os verdes e o PSD a votarem juntos contra a medida.

  • Alternativa à TSU deve ser encontrada à esquerda, diz Medina
    0:43

    TSU/PEC

    Sobre a polémica em torno da TSU, Fernando Medina considera que a solução para o chumbo da medida deve ser encontrada entre os partidos à esquerda, porque daria um sinal importante ao PSD. O socialista e autarca de Lisboa não revela se a solução passará pela redução do Pagamento Especial por Conta.

  • Militares tentam acabar com guerra entre traficantes na Rocinha, Rio de Janeiro
    3:07

    Mundo

    As últimas horas têm sido de tensão no Rio de Janeiro depois dos tiroteios que começaram desde que uma das principais favelas da cidade foi ocupada por militares na sexta-feira. As forças federais foram acionadas para auxiliarem a polícia, que há vários dias tenta acabar com a guerra entre fações de traficantes de droga.

  • Irão lança míssil de médio alcance
    1:13

    Mundo

    Três dias depois do discurso hostil de Donald Trump nas Nações Unidas, o Irão testou um novo míssil de médio alcance que atingiu uma altura de dois mil quilómetros. Teerão diz que o teste não viola o acordo nuclear.

  • Trump renovou as ameaças à Coreia do Norte
    1:30
  • Guterres apela à Coreia do Norte para cumprir resoluções

    Mundo

    O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, apelou este sábado ao ministro do Exterior da Coreia do Norte, Ri Yong Ho, para o cumprimento das resoluções que o Conselho de Segurança impôs ao país em resposta à sua escalada armada.

  • Atrás das Câmaras em Pedrógão Grande
    3:37
    Atrás das Câmaras

    Atrás das Câmaras

    DIARIAMENTE NA SIC E SIC NOTÍCIAS

    A carrinha do "Atrás das Câmaras" continua pelo país a mostrar aquilo que alguns políticos ignoram. Este sábado a equipa da SIC esteve em Pedrógão Grande, 99 dias após o incêndio que fez 64 mortos e 200 feridos.

  • Morreu Charles Bradley, uma das lendas do soul

    Cultura

    O cantor Charles Bradley morreu este sábado aos 68 anos. O músico norte-americano foi diagnosticado com cancro no ano passado. A notícia da morte foi confirmada na página oficial do cantor no Facebook.