sicnot

Perfil

Crise na Ucrânia

Crise na Ucrânia

Crise na Ucrânia

Líderes francês, alemão, russo e ucraniano debatem situação na Ucrânia

Os líderes francês, alemão, russo e ucraniano falaram hoje ao telefone sobre a situação na Ucrânia, saudando o "cessar-fogo globalmente respeitado desde 01 de setembro", informou a Presidência francesa.

Reuters

François Hollande, Angela Merkel, Vladimir Putin e Petro Poroshenko também concordaram sobre a "necessidade de fazer tudo para que a situação perdure e para que a Missão Especial de Observação da OSCE (Organização para a Segurança e Cooperação na Europa) tenha acesso permanente, seguro e sem entraves às áreas afetadas", referiu, em comunicado, a Presidência francesa.

A Presidência francesa confirmou também a realização no início de outubro de uma cimeira sobre a Ucrânia, inaugurada pelos quatro líderes, à margem das comemorações do 70º aniversário do desembarque dos Aliados.

Os ministros dos Negócios Estrangeiros dos quatro países vão reunir-se em Berlim a 12 de setembro para "preparar propostas concretas", confirmou o Eliseu.

Em relação à segurança, os quatro líderes sublinharam que devem ser recolhidas as armas de calibre inferior a 100 milímetros e implementada a retirada de armas pesadas.

Enquanto politicamente, segundo a Presidência francesa, vai ser "concertada uma data para organizar eleições locais em algumas regiões dos setores de Donetsk e Lugansk".

O Presidente francês, François Hollande, e a chanceler alemã, Angela Merkel, salientaram também a "necessidade de haver progressos na questão da troca de prisioneiros e garantir livre acesso do Comité Internacional da Cruz Vermelha".

Lusa

  • Bruno de Carvalho garante empenho do Sporting
    0:52

    Desporto

    Bruno de Carvalho diz que o Sporting continua empenhado apesar do momento que o clube atravessa. O presidente leonino discursou ao início da tarde no núcleo Leões da Madeira, no Funchal, onde o Sporting joga hoje com o Marítimo.

  • Cágado tratado com implante impresso em 3D
    2:26
  • Patrões não aceitam alterações ao acordo de concertação social
    2:25

    Economia

    As confederações patronais foram esta sexta-feira ao Palácio de Belém dizer ao Presidente da República que não aceitam que o Parlamento faça alterações ao acordo de concertação social. Os patrões dizem ainda ter esperança que o Parlamento não chumbe o decreto-lei que reduz a TSU das empresas com salários mínimos.