sicnot

Perfil

Crise na Ucrânia

Crise na Ucrânia

Crise na Ucrânia

Rússia tem "sérias dúvidas" sobre os objetivos da investigação sobre o voo MH17

A diplomacia russa afirmou hoje ter "sérias dúvidas" sobre os objetivos da investigação internacional conduzida pela Holanda sobre as circunstâncias da queda do voo MH17 da Malaysia Airlines em julho de 2014 no leste da Ucrânia.

© Michael Kooren / Reuters

"Sérias dúvidas permanecem sobre se o verdadeiro objetivo da investigação conduzida pela Holanda é estabelecer as verdadeiras razões da catástrofe e não justificar as acusações que tinham sido avançadas" em Haia, referiu o Ministério dos Negócios Estrangeiros russo, num comunicado, em reação à divulgação do relatório final da investigação do Departamento de Segurança da Holanda.

A diplomacia russa também lamentou "não ter tido acesso aos documentos da investigação".

"Francamente, estamos um pouco surpresos ao ver que vários países tenham já comentado de forma oficial e oficiosa o documento que foi publicado, como já conhecessem o conteúdo", frisou a porta-voz do ministério, Maria Zakharova, citada pela agência noticiosa RIA Novosti.

A diplomacia russa também manifestou surpresa pelo facto dos peritos envolvidos na investigação internacional não terem "desejado vir à Rússia e examinar as provas de Almaz-Antei", o construtor russo dos sistemas de defesa antiaérea BUK, incluindo o míssil terra-ar que está na origem da queda do aparelho Boeing 777 da Malaysia Airlines, segundo as conclusões do relatório hoje divulgado.

O construtor russo rejeitou as conclusões da investigação do Departamento de Segurança da Holanda.

"Evidentemente, a forma como [o inquérito] foi conduzido influenciou forçosamente o resultado", reforçou o Ministério dos Negócios Estrangeiros russo.

"A única forma de evitar [a atual situação] é prosseguir com a investigação, modificar os parâmetros e envolver uma participação plena dos Estados que podem fornecer provas e meios que permitam esclarecer o acidente do voo MH17", concluiu a diplomacia russa, acrescentando que Moscovo "está disponível" caso as autoridades de Haia queiram reabrir a investigação.

Num relatório hoje divulgado, a investigação do Departamento de Segurança da Holanda concluiu que o avião Boeing 777 da Malaysia Airlines, que fazia o voo MH17 entre Amesterdão e Kuala Lumpur, foi abatido, quando sobrevoava o leste da Ucrânia a 17 de julho de 2014, por um míssil terra-ar BUK, de fabrico russo, que atingiu o aparelho do lado esquerdo do 'cockpit'.

Os investigadores não conseguiram determinar o local exato do lançamento do míssil, tendo identificado apenas uma área de 320 quilómetros quadrados no leste da Ucrânia, controlada pelos separatistas pró-russos.

A investigação à queda do voo da Malaysia Airlines, na qual morreram todas as 298 pessoas que seguiam a bordo (193 eram holandeses), concluiu por outro lado que, após a explosão, "a parte da frente do avião foi arrancada e o avião partiu-se no ar".

O inquérito internacional -- que envolveu outros países como Ucrânia, Rússia, Estados Unidos, Austrália e Reino Unido -- também indicou que Kiev deveria ter encerrado aquela área do espaço aéreo ucraniano: no dia do acidente, 160 aviões sobrevoaram aquela zona de guerra.

Lusa

  • Os melhores do mundo pela FIFA da última década

    Desporto

    O português Cristiano Ronaldo e o argentino Lionel Messi têm repartido de forma igual os prémios de melhor jogador do mundo pela FIFA, na última década. Apesar destes dois nomes serem os mais falados, muitos outros jogadores foram nomeados para o prémio. Conheça a lista dos nomeados e dos vencedores desde 2007.

  • Tudo o que precisa saber sobre a moção de censura

    País

    O Governo minoritário do PS enfrenta na terça-feira a sua primeira moção de censura, a 29.ª em 43 anos de democracia, mas PCP, BE e PEV já anunciaram que vai "chumbar" a iniciativa do CDS-PP. Esta é a sétima moção de censura apresentada pelo CDS-PP e a 29.ª a ser discutida na Assembleia da República. Os três partidos de esquerda que têm apoiado o executivo, PCP, BE e PEV, já anunciaram que votam contra. Com os votos do PS, a moção é chumbada.

  • "Avançámos em primeiro lugar com incentivos às empresas"
    18:07

    Economia

    O ministro da Economia, Manuel Caldeira Cabral, esteve na Edição da Noite da SIC Notícias para falar do que pode ser feito depois da tragédia dos incêndios que assolou o país na última semana. O governante diz que já avançou com incentivos às empresas afetadas e que neste momento o mais importante é preservar a segurança das pessoas.

    Entrevista SIC Notícias

  • Santana Lopes lamenta que Rui Rio tenha recusado debates com as bases do PSD
    0:40

    País

    Pedro Santana Lopes lamenta que Rui Rio tenha recusado a realização de debates com as bases do partido. Fernando Negrão, responsável pela candidatura de Santana Lopes à presidência do PSD, já tinha advertido em comunicado que a posição de Rui Rio poderia também inviabilizar quaisquer outros frente a frente, incluindo os organizados pela comunicação social. Santana Lopes está na Guarda, no primeiro jantar com apoiantes desde que anunciou a candidatura.

  • Gémeas correm risco de vida se não saírem de Gaza

    Mundo

    Duas irmãs gémeas siamesas correm risco de vida enquanto permanecerem em Gaza. Quem diz é o médico Alam Abu Hamba, do Hospital de Shifra, que garante que "situação complicada" das meninas não pode ser tratada por médicos no território costeiro, atulamente bloqueado pelo Egito e por Israel. Abu Hamba espera que o casal de gémeas possa ser transferido para fora da separação.

  • Encontrado corpo de menina posta de castigo na rua pelo pai

    Mundo

    Sherin Mathews estava desaparecida desde o dia 7 de outubro. Este domingo a polícia do estado norte-americano do Texas encontrou o corpo de uma criança que acreditam ser a menina de três anos, desaparecida depois de o pai a colocar de castigo na rua, durante a madrugada.

    SIC