sicnot

Perfil

Vírus Zika

Vírus Zika

Vírus Zika

Vírus Zika leva Honduras a declarar estado de emergência

O Presidente das Honduras, Juan Orlando Hernández, declarou, esta segunda-feira, o estado de emergência nacional devido à propagação do vírus do Zika, que afetou 3.700 pessoas no país desde o passado mês de dezembro.

© Jorge Cabrera / Reuters

O estado de emergência foi decretado na sessão do Conselho de Ministros, dirigido pelo Presidente Hernández, escreveu a ministra adjunta de Estratégia e Comunicação, Hilda Hernández, numa mensagem na sua conta na rede social Twitter.

A ministra da Saúde hondurenha, Yolany Batres, afirmou na segunda-feira que o país contabiliza apenas este ano 3.649 casos de infeções do vírus Zika, os quais se juntam aos 51 registados em dezembro último, quando foi detetado o primeiro caso.

Do Conselho de Ministros também saiu a ordem para ativar o Sistema Nacional de Gestão de Riscos (Sinager) para coordenar e reforçar as medidas preventivas face à propagação do Zika.

Horas antes, o Comité de emergência da Organização Mundial de Saúde (OMS) decidiu que os casos de microcefalia e de desordens neurológicas surgidas no Brasil constituem uma emergência sanitária de alcance internacional, mas não o vírus Zika, por não ter sido comprovada relação entre ambos.

A OMS confirmou que, até à data, foram detetados casos em 25 países e territórios das Américas.

Lusa

  • Mação volta a enfrentar dias de pânico
    3:33
  • Fogo obrigou à evacuação de 6 aldeias do concelho do Sardoal
    1:56

    País

    O incêndio que chegou ao Sardoal obrigou à evacuação de seis aldeias. As pessoas foram encaminhadas para as instalações da Santa Casa da Misericórdia e vão regressando ao longo do dia de hoje. A A23 foi reaberta de madrugada, depois de ter estado várias horas cortada nos dois sentidos .

  • Detida no Brasil portuguesa acusada de várias burlas nos últimos 20 anos
    3:04

    Mundo

    A Polícia do Rio de Janeiro deteve uma portuguesa acusada de várias burlas nos últimos 20 anos. Ana Resende fazia-se passar por funcionária do consulado e prometia vistos e outros documentos para tirar dinheiro das vítimas. Esta é a terceira vez que a polícia brasileira detém a portuguesa por acusações de burla.