sicnot

Perfil

Vírus Zika

Vírus Zika

Vírus Zika

Atletas dos EUA e do Quénia podem falhar Rio2016

O Comité Olímpico dos Estados Unidos informou, esta segunda-feira, que os seus atletas podem consideram não disputar os Jogos Olímpicos no Rio de Janeiro, em agosto, por causa da preocupação com o vírus da Zika. Posição idêntica foi anunciada esta terça-feira pelo Quénia. Ambos os países têm atletas de alto nível, os Estados Unidos em várias modalidades e o Quénia tem conquistado medalhas olímpicas em diversas especialidades do atletismo.

© Josue Decavele / Reuters

De acordo com a agência Reuters, atletas, funcionários e dirigentes de federações desportivas norte-americanas discutiram a questão e o presidente do Comité Olímpico dos EUA (USOC), Donald Anthony, afirmou que "caso os atletas não se sintam confortáveis podem considerar não ir aos Jogos".

O organismo garantiu também, em comunicado, que os EUA "aguardam ansiosamente pelos Jogos Olímpicos", reiterando que não desaconselhará os atletas a competir pelo seu país.

"Os relatórios que aconselham os atletas norte-americanos a reconsiderarem competir no Rio de Janeiro, em virtude do vírus Zika, são cem por cento imprecisos", referiu o USOC.

O Comité Olímpico dos Estados Unidos garantiu, no entanto, que mantém "permanentes discussões internas de esclarecimento sobre os riscos da propagação e contaminação do vírus Zika".

Os EUA lideraram o quadro de medalhas nas Olimpíadas de Londres, em 2012, com total de 104 medalhas: 46 de ouro, 29 de prata e 29 de bronze.

O Comité Olímpico do Quénia tomou também uma posição em relação à presença dos seu atletas no Rio2016. A ameaça do vírus Zika está a preocupar os responsáveis desportivos deste país africano.

"Obviamente, não vamos arriscar a enviar quenianos para lá, se o vírus Zika atingir elevados níveis de transmissão", disse Kipchoge Keino, dirigente do Comité Olímpico do Quénia, à agência Reuters.

  • Menino perdido na Praia da Luz foi levado à GNR por turista
    1:11

    País

    Um menino inglês, de sete anos, esteve desaparecido na quinta-feira na Praia da Luz, no Algarve, depois de se ter perdido dos pais. A GNR colocou duas equipas de investigação no local, mas ao fim de uma hora e meia o rapaz apareceu na esquadra de Lagos acompanhado por um turista a quem terá pedido ajuda.

  • Mais viagens mas menos turistas de Portugal
    1:22

    País

    Os residentes em Portugal - sejam portugueses ou estrangeiros - realizaram quatro milhões de viagens turísticas, só no primeiro trimestre do ano. Um aumento de mais de 6% nas viagens dentro do país face ao período homólogo e de mais de 15% nas viagens para fora, de avião. O estudo é do INE, o Instituto Nacional de Estatística, que permite fazer o retrato mais claro de quem viaja e porquê.

  • Algarve sozinho gera metade dos bens transacionáveis em Portugal
    4:14

    SIC 25 Anos

    O Algarve quase não tem indústria e os especialistas consideram que é excessivamente dependente do turismo. Ainda assim, sozinho contribui com metade do que Portugal gera em bens transacionáveis. A região tem problemas graves, como a falta de médicos e um custo de vida muito alto, mas continua a atrair a maior parte dos turistas e muitos estrangeiros decidem mesmo escolher a região para viver.