sicnot

Perfil

Vírus Zika

Vírus Zika

Vírus Zika

DGS aconselha uso de preservativo como medida preventiva do Zika

A Direção-Geral de Saúde (DGS) acrescentou às medidas de prevenção contra o vírus Zika a utilização de preservativo em relações sexuais, durante seis meses no caso de homens infetados ou durante 28 dias caso não existam sintomas.

A Direção-Geral de Saúde aconselha a utilização de vestuário adequado para diminuir a exposição corporal à picada, o alojamento com ar condicionado, a utilização de redes mosquiteiras, a utilização de preservativo em relações sexuais e seguir as recomendações das autoridades locais do país.

A Direção-Geral de Saúde aconselha a utilização de vestuário adequado para diminuir a exposição corporal à picada, o alojamento com ar condicionado, a utilização de redes mosquiteiras, a utilização de preservativo em relações sexuais e seguir as recomendações das autoridades locais do país.

© Ina Fassbender / Reuters

"Os cidadãos que se deslocam para áreas afetadas devem adotar medidas de proteção sexual, nomeadamente o uso do preservativo", lê-se numa atualização do boletim de orientação da DGS para o vírus Zika, originalmente divulgado a 15 de janeiro e atualizado na segunda-feira, que está disponível na página da internet daquela entidade.

No caso de um homem que regresse "de área afetada", caso este apresente sintomas deve, além de "realizar tratamento sintomático", "utilizar preservativo nas relações sexuais durante seis meses, à luz do princípio da precaução e segundo os conhecimentos atualizados". Caso não apresente sintomas, deve "utilizar preservativo nas relações sexuais durante 28 dias".

Segundo a DGS, a principal medida de prevenção é "a proteção contra a picada de mosquito". Nomeadamente, "utilizar vestuário adequado para diminuir a exposição corporal à picada", "optar preferencialmente por alojamento com ar condicionado", "utilizar redes mosquiteiras", "ter especial atenção aos períodos do dia em que os mosquitos do género 'Aedes' picam mais frequentemente (a meio da manhã e desde o entardecer ao por do sol)", e "aplicar repelentes observando as instruções do fabricante".

Aos cidadãos que se desloquem aos países afetados com o vírus, como o Brasil e a Colômbia, a DGS aconselha: "antes do início da viagem devem procurar aconselhamento em Consulta do Viajante"; "as grávidas não devem deslocar-se, neste momento, para zonas afetadas"; "as pessoas imunocomprometidas ou com doenças crónicas graves devem obter aconselhamento junto do seu médico antes de planear uma viagem a uma área afetada"; "no país de destino seguir as recomendações das autoridades locais".

A DGS aconselha aos cidadãos "provenientes de uma área afetada" e que apresentem, "até 28 dias após a data de regresso, sintomatologia sugestiva de infeção por vírus Zika" que contactem a linha Saúde 24 (808 24 24 24).

Lusa

  • Aluno abre fogo em escola brasileira, pelo menos dois mortos

    Mundo

    Um aluno de 14 anos disparou vários tiros esta sexta-feira numa escola particular, em Goiânia, no Brasil. De acordo com o Globo, dois estudantes morreram e outros quatro ficaram feridos com gravidade. O aluno do 8.º ano foi detido pelas autoridades.

  • Um morto e sete feridos em ataque com faca na Polónia

    Mundo

    Um homem atacou esta sexta-feira várias pessoas com uma faca, num centro comercial em Stalowa Wola, na Polónia. Segundo as autoridades, uma pessoa morreram e sete ficaram feridas. O atacante foi preso pela polícia, depois de ser detido por alguns cidadãos que estavam no centro comercial.

  • Família perde tudo na aldeia de Queirã
    2:32
  • Temperaturas sobem no fim de semana, risco de incêndio aumenta
    1:08

    País

    A chuva que caiu nos últimos dias não deverá ter impactos relevantes na dominuição da seca e, por isso, o risco de incêndios vai voltar a aumentar com nova subida das temperaturas. Os termómetros podem chegar aos 30 graus entre domingo e quarta-feira.

  • Não me parece o melhor princípio político, mas percebo que António Costa queira ter junto de si, sobretudo em tempos difíceis, os mais próximos. Os homens de confiança pessoal e política. Em plena tempestade, o primeiro-ministro chamou dois amigos de longa data, ex-colegas da Faculdade de Direito, Eduardo Cabrita e Pedro Siza Vieira. E eles não disseram que não.

    Bernardo Ferrão