sicnot

Perfil

Vírus Zika

Vírus Zika

Vírus Zika

Quinze empresas trabalham numa vacina contra o Zika

Cerca de 15 empresas já começaram a trabalhar numa vacina contra o vírus Zika, referiu hoje a Organização Mundial de Saúde, indicando ainda que levará algumas semanas até se provar se causa microcefalia e outros distúrbios neurológicos em bebés.

© Jaime Saldarriaga / Reuters

Estima-se que 15 empresas ou grupos começaram a trabalhar para encontrar uma vacina contra o vírus Zika, que já se tornou um preocupação global, disse em Genebra aos jornalistas a diretora adjunta da Organização Mundial da Saúde (OMS) para os sistemas de saúde e inovação, Marie-Paule Kieny.

Atualmente, segundo a responsável da OMS, dois candidatos aparecem com propostas mais promissoras: uma vacina que está a ser desenvolvida pelo Instituto Nacional de Saúde norte-americano e uma outra da empresa indiana de biotecnologia Bharat.

"Apesar do cenário encorajador, levarão pelo menos 18 meses até a realização de testes e ensaios em larga escala dessas vacinas", disse Marie-Paule Kieny.

A responsável da OMS disse ainda que há uma estimativa de "algumas semanas" para se estabelecer se o vírus Zika causa microcefalia e a síndrome de Guillain-Barre em bebés que cujas mães foram infetadas pelo vírus.

A OMS salientou que a ligação do vírus Zika com microcefalia é "fortemente suspeita" e Kieny declarou hoje aos jornalistas que a relação causal com a síndrome de Guillain-Barre é "altamente provável".

A Organização Mundial de Saúde declarou, no passado dia 01 de fevereiro, uma emergência de saúde internacional devido à possível relação entre os casos de microcefalia em recém-nascidos registados no Brasil com o vírus Zika.

Transmitido pela picada de mosquitos do género 'Aedes', o Brasil é o país mais atingido no mundo pela epidemia de Zika, com 1,5 milhões de doentes e três mortes confirmadas, seguindo-se a Colômbia (22.600 casos).

A OMS recomendou hoje que as mulheres grávidas adiem os seus planos de viagem para qualquer das zonas com presença do vírus Zika, por se temer a possível vinculação com os casos de microcefalia e outros distúrbios neurológicos.

Lusa

  • O dia que roubou dezenas de vidas em Pedrógrão Grande
    3:47
  • Metade dos moradores de Sandinha recusaram sair das casas
    3:14
  • Habitantes de Várzeas tentam regressar à normalidade
    2:48
  • Corpos da tragédia em Pedrógão guardados em camião de alimentos
    8:11

    Tragédia em Pedrógão Grande

    Duarte Nuno Vieira, médico legista, esteve esta quinta-feira, na Edição da Noite, para comentar o que já foi feito e o que falta fazer em Pedrógão Grande, depois de ter sido atingido pelos incêndios. O presidente do Conselho Europeu de Medicina Legal defendeu que guardar os corpos das vítimas mortais num camião de alimentos foi uma "maneira de solucionar o problema da forma possível", visto que não há espaço no Instituto Nacional De Medicina Legal.

  • Johnny Depp sugere assassínio de Trump
    0:31