sicnot

Perfil

Vírus Zika

Vírus Zika

Vírus Zika

Brasil com 641 casos de microcefalia desde o início do surto do Zika

O Brasil confirmou 641 casos de microcefalia e 139 bebés com malformações congénitas que morreram, desde o início do surto do vírus Zika em outubro, informou o Ministério da Saúde na terça-feira.

© Nacho Doce / Reuters

Os mais recentes dados correspondem a um aumento de 10% do número de casos de microcefalia reportados pelo ministério na semana passada.

As autoridades estão a investigar outros 4.222 possíveis casos de microcefalia, em que o bebé nasce com a cabeça anormalmente pequena e muitas vezes sem o completo desenvolvimento do cérebro.

Cientistas no Brasil relacionam o aumento da microcefalia com o crescimento do vírus Zika transmitido por mosquito, com um número estimado de 1,5 milhões de pessoas infetadas.

A Organização Mundial de Saúde está a estudar a possível conexão e considera o surto do Zika uma emergência de saúde internacional.

O Brasil reporta habuitualmente 150 casos de microcefalia por ano.

As malformações congénitas também estão associadas a mães que contraem sífilis, rubéola ou toxoplasmose durante a gravidez.

Lusa

  • OMS lança plano de combate ao ZIka
    1:45

    Mundo

    A Organização Mundial de Saúde lançou um plano de combate ao Zika no valor de 50 milhões de euros. A resposta visa combater e controlar a epidemia sobretudo nos países mais afetados. No Brasil são cada vez mais os bebés que nascem com microcefalia associada ao vírus Zika. O número de casos confirmados ultrapassa já o meio milhar.

  • A morte das sondagens foi ligeiramente exagerada

    Opinião

    Um atentado sem efeitos eleitorais, sondagens que acertaram em praticamente tudo, inexistência do chamado eleitorado envergonhado. E um candidato que se situa no centro político com fortíssimas hipóteses de vencer a segunda volta. As presidenciais francesas tiveram uma chuva de acontecimentos anormais, mas acabam por ser um choque de normalidade. Pelo menos até agora...

    Ricardo Costa

  • Governo quer reduzir gastos com papel na função pública
    1:08

    Economia

    O Governo proibiu a livre utilização das impressoras pelos funcionários públicos. O ministro das Finanças quer assim reduzir em 20% a despesa em consumo de papel e, ao mesmo tempo, minimizar a perigosidades dos resíduos produzidos com as impressoras, no Estado.