sicnot

Perfil

Vírus Zika

Vírus Zika

Vírus Zika

Comissão Europeia dá 10 M€ para financiar investigação sobre vírus Zika

A Comissão Europeia financiou hoje com 10 milhões de euros, do programa Horizonte 2020, a investigação sobre o vírus Zika, que afeta regiões da América Latina, principalmente o Brasil, suspeitando-se que cause malformações em recém-nascidos.

reuters

A verba destina-se a financiar projetos que investigam a presumível ligação entre o vírus e os casos notificados de malformações cerebrais graves, como a microcefalia, em recém-nascidos.

Os investigadores poderão passar em seguida à luta contra o vírus Zika, incluindo o desenvolvimento de instrumentos de diagnóstico e o ensaio de possíveis tratamentos e vacinas.

"Este financiamento permitirá a realização de investigação sobre a ameaça mundial emergente do vírus Zika, que é urgentemente necessário", disse o comissário europeu para a Investigação, Ciência e Inovação, Carlos Moedas.

Por seu lado, o ministro da Ciência e da Tecnologia brasileiro, Celso Pansera, afirmou que "a parceria com a União Europeia na investigação sobre o vírus Zika será muito importante para ajudar os investigadores brasileiros a lutar com as doenças epidémicas que afetam o país".

O país mais afetado pelo Zika, vírus transmitido por um mosquito, é o Brasil, onde, de acordo com a Organização Mundial de Saúde, a recente série de malformações cerebrais graves em recém-nascidos pode estar relacionada com o vírus.

O financiamento hoje atribuído complementará outras atividades de investigação atualmente financiadas no âmbito do Programa-Quadro Horizonte 2020, que podem ajudar a lutar contra o Zika, nomeadamente o desenvolvimento de vacinas e o controlo da propagação dos mosquitos.

Lusa

  • Montenegro nunca será candidato contra Passos
    0:50
  • Dijsselbloem não comenta hipótese de ser substituído por Mário Centeno
    2:41

    Mundo

    Jeroen Dijsselbloem diz que cabe ao Governo português avançar com o nome de Mário Centeno para a presidência do Eurogrupo, mas não comenta a sondagem que foi feita ao ministro das Finanças português. Ouvido esta quinta-feira no Parlamento Europeu, o Presidente do Eurogrupo esteve no centro das críticas e reafirmou que não se demite.