sicnot

Perfil

Vírus Zika

Vírus Zika

Vírus Zika

Investigadores brasileiros encontram o vírus Zika em macacos no Ceará

Investigadores da Universidade de São Paulo (USP) encontraram macacos infetados com o vírus Zika no estado brasileiro de Ceará, sendo esta a primeira vez que isso ocorre fora de África, divulgou hoje a imprensa brasileira.

© Jaime Saldarriaga / Reuters

De acordo com o jornal O Estado de São Paulo, a descoberta no Brasil indica que, por ser capaz de contaminar outros hospedeiros além dos humanos, o vírus espalha-se com mais facilidade e pode ser mais difícil de ser contido do que os especialistas imaginavam.

"É um achado que nos deixou muito preocupados porque mostra que o Zika veio para ficar. Assim como no caso da febre-amarela, o vírus Zika tem um ciclo não só em humanos, mas também em animais silvestres, que podem tornar-se um reservatório", disse Edison Luiz Durigon, professor titular do departamento de Microbiologia do Instituto de Ciências Biomédicas (ICB) da USP e um dos coordenadores do estudo.

"É por isso que, no caso da febre-amarela, mesmo com a vacina, nunca conseguimos erradicar o vírus, porque ele continua a circular entre os primatas. Isso não acontece com a febre dengue, por exemplo", adiantou o investigador.

Os macacos infetados pelo Zika foram encontrados em diferentes regiões do estado de Ceará entre os meses de julho e novembro do ano passado.

A descoberta foi feita quando cientistas do ICB-USP e do Instituto Pasteur estavam a capturar saguis e macacos-prego para um estudo sobre a raiva.

"Resolvemos testá-los também para o Zika e, para nossa surpresa, 29% das amostras deram positivas, todas elas de macacos capturados em áreas onde há notificação de Zika e ocorrência de microcefalia", disse Edison Luiz Durigon, um dos membros da Rede Zika, grupo de trabalho de de cientistas de São Paulo criado em 2015, com auxílio financeiro da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), para estudar o vírus.

O resultado encontrado pelos investigadores brasileiros pode apontar para um dos motivos de o vírus Zika se ter espalhado tão rapidamente nas Américas.

Em menos de dois anos, a doença já foi identificada em 35 países do continente, enquanto a dengue levou décadas para se espalhar na mesma amplitude geográfica.

Os resultados preliminares da investigação foram publicados na revista especializada BioRxiv.

Lusa

  • Relatório pedido pelo Governo PSD-CDS já apontava falhas no SIRESP
    2:26
  • Proteção Civil aponta falhas do SIRESP, operadora diz que esteve à altura do fogo
    4:22
  • Temer pode cair menos de um ano depois da queda de Dilma
    3:06
  • Imagens do resgate de crianças feridas num bombardeamento na Síria
    2:00

    Mundo

    Os Estados Unidos acusam o regime sírio de estar a preparar um novo ataque químico e avisam Bashar al-Assad que vai pagar caro se o concretizar. No terreno, os ataques aéreos continuam a fazer vítimas civis. Da periferia de Damasco chegam imagens dramáticas do resgate de duas crianças feridas num bombardeamento.

  • Mulher atira moedas para o motor do avião por superstição

    Mundo

    As superstições levam as pessoas a fazer coisas bizarras e até, mesmo, perigosas. Este foi o caso de uma mulher chinesa que decidiu atirar moedas para o motor de um avião, para garantir boa sorte na viagem, que estava prestes a fazer. Contudo, a ação obrigou ao atraso do voo que partia de Xangai, numa companhia aérea chinesa.

  • Modelo italiana atacada com ácido volta ao trabalho

    Mundo

    Gessica Notaro, antiga concorrente do concurso Miss Itália, já regressou ao trabalho como treinadora de leões marinhos, cinco meses depois de ter sido atacada com ácido, alegadamento pelo ex-namorado, Jorge Edson Tavares. Gessica Notaro diz que quer inspirar e encorajar outras mulheres a lutar contra o assédio e o bullying nas relações.