sicnot

Perfil

Vírus Zika

Vírus Zika

Vírus Zika

Risco de transmissão do Zika no Equador preocupa OMS e organização Pan Americana

A Organização Mundial de Saúde (OMS) e a organização Pan Americana emitiram ontem um alerta para que as autoridades do Equador e os habitantes da zona afetada pelo sismo. As duas organizações aconselham a tomada de medidas de prevenção contra a transmissão do Zika.

© Guillermo Granja / Reuters

No Equador, contam-se 135 pessoas infetadas e outros 217 casos suspeitos de terem contraído o vírus. Um número que poderá aumentar tendo em conta que depois do sismo há um risco maior de doenças transmitidas por mosquitos, como o Zika.

A infeção em mulheres grávidas pode provocar graves malformações dos fetos, em particular microcefalia e doenças neurológicas raras nos adultos.

  • "Cada drama, cada problema, cada testemunho, impressiona muito"
    1:55
  • Clínica veterinária em Tondela recebeu dezenas de animais feridos nos fogos
    2:57
  • Temperaturas sobem até ao final do mês
    1:09

    País

    O tempo não dá tréguas e, até ao final do mês, as temperaturas vão atingir valores acima do normal para esta época do ano. As temperaturas máximas vão subir entre os 25 e os 32 graus. O risco de incêndio aumenta a partir desta segunda-feira em todo o país e os meios aéreos, viaturas, operacionais e equipas de patrulha vão ser reforçados.

  • Maioria das praias do Algarve já não tem nadador-salvador
    2:19

    País

    A lei não obrigada os concessionários a garantir o serviço e, por isso, a esmagadora maioria das praias do Algarve está sem vigilância desde 30 de setembro. Ainda assim, os areais vão atraindo milhares de banhistas com as temperaturas altas que ainda se fazem sentir. Um nadador-salvador recomenda os banhistas a não nadar e, em dias de ondulação, evitar caminhadas à beira-mar.

  • Parlamento catalão vai responder à ativação do artigo 155
    1:54
  • A história por detrás da fotografia que correu (e impressionou) o Mundo

    Mundo

    Depois dos incêndios da semana passada na Galiza, começou a circular na internet e nas redes sociais a imagem de uma cadela que alegadamente levava a sua cria carbonizada na boca. Contudo, a cadela é na verdade macho e chama-se Jacki. Esta é a história do cão que passou os dias após os fogos a recolher animais mortos para os enterrar num campo perto de uma igreja, em Coruxo, Vigo.

    SIC

  • Quando o cão de Macron fez chichi no gabinete do Presidente francês
    0:31