sicnot

Perfil

Vírus Zika

Vírus Zika

Vírus Zika

Ministro da Saúde brasileiro considera exagero pedido de adiamento dos Jogos Olímpicos pelo Zika

O ministro brasileiro da Saúde, Ricardo Barros, considerou hoje que é exagerado pedir o adiamento dos Jogos Olímpicos Rio2016, que se realizam em Londres, devido ao vírus Zika.

© Sergio Moraes / Reuters

O governante reagia a uma carta aberta de 150 especialistas, que pediam que os Jogos fossem adiados ou transferidos, para evitar uma possível propagação mundial do Zika.

"A carta é um exagero, um excesso de zelo. A doença já está em 60 países, onde vivem 1.300 milhões de pessoas. Não serão uns Olímpicos a aumentar ou a reduzir a propagação do vírus", disse Barros, numa cerimónia em que foram anunciados novos investimentos na investigação sobre o Zika.

De acordo com o responsável, a população brasileira apenas representa 15% do total das pessoas expostas ao vírus nos 60 países em que o Zika está presente.

O ministro disse ainda que a proposta dos especialistas já foi rejeitada pela Organização Mundial de Saúde (OMS) e pelo Comité Olímpico Internacional (COI).

Barros lembrou que a diretora-geral da OMS, Marcareth Chan, se comprometeu a assistir à cerimónia de abertura dos Jogos Rio2016, a 05 de agosto, o que classificou como "um símbolo da segurança de que haverá baixa transmissão do Zika e uma demonstração pessoa de apoio" às medidas adotadas.

Lusa

  • BE acusa direita de bloquear atual comissão à CGD
    1:37

    Caso CGD

    O Bloco de Esquerda acusa a oposição de estar a fazer tudo para impedir as conclusões da comissão de inquérito sobre a Caixa Geral de Depósitos que está em curso. Numa altura em que PSD e CDS já entregaram o requerimento para avançar com uma segunda comissão, Catarina Martins defende que ainda há muita coisa por apurar sobre o processo de recapitalização do banco público.

  • Visita de Costa a Angola pode estar em risco
    2:26

    País

    A visita de António Costa a Luanda poderá estar em risco devido à acusação da justiça portuguesa contra o vice-Presidente de Angola. O jornal Expresso avança que o comunicado com a reação dura do Governo angolano é apenas o primeiro passo e que pode até estar a ser preparado um conjunto de medidas contra Portugal. Para já, o primeiro-ministro português desvaloriza a ameaça e mantém a visita marcada para a primavera.