sicnot

Perfil

Vírus Zika

Vírus Zika

Vírus Zika

Descobertos anticorpos que atacam e neutralizam o vírus Zika

Cientistas europeus anunciaram hoje a descoberta de anticorpos que atacam e "neutralizam" o vírus Zika. Este avanço abre caminho ao desenvolvimento de uma vacina contra este vírus, responsável por lesões cerebrais em fetos.

reuters

Os anticorpos - os "soldados da frente" do sistema imunitário - "neutralizaram eficazmente" o Zika em células humanas em laboratório, e foram também eficazes contra um outro vírus semelhante, a dengue, anunciou a equipa num artigo publicado na revista Nature.

A descoberta "pode levar ao desenvolvimento de uma vacina universal" contra as duas doenças, esperam os cientistas.

As moléculas capazes de neutralizar o Zika foram retiradas de pessoas que já tinham sido infetadas com dengue e cujos sistemas imunitários produziram anticorpos para combater a doença.

"Os anticorpos poderiam ser usados, por exemplo, para proteger mulheres grávidas com risco de contrair o vírus Zika", disse Felix Rey, especialista em virologia no Instituto Pasteur, em França, coautor dos estudos.

"Nunca esperámos descobrir que os vírus da dengue e do Zika são tão próximos que alguns anticorpos produzidos contra o vírus da dengue possam também neutralizar o vírus do Zika de forma tão potente", acrescentou.

No entanto, Rey admitiu que até se conseguir uma vacina eficaz, há um longo caminho a percorrer: "Ainda há muito a fazer, nomeadamente realizar um ensaio clínico. Isto pode levar algum tempo", explicou.

Benigno para a maioria das pessoas, o Zika tem sido ligado a lesões cerebrais severas -- microcefalia -- em bebés, e a um raro problema neurológico em adultos, tal como a síndrome de Guillain-Barre, que pode causar paralisia e morte.

Num surto que começou no ano passado, cerca de 1,5 milhões de pessoas foram infetados com Zika no Brasil, num total mundial de cerca de dois milhões de pessoas, e mais de 1.600 bebés nasceram com cabeças e cérebros anormalmente pequenas.

O Zika e a dengue são transmitidos pelo mosquito 'Aedes aegypti', e pertencem à mesma família de vírus ('Flaviviridae').

Ainda não existe qualquer prevenção para o Zika, mas há uma vacina contra a dengue, que causa sintomas semelhantes a uma gripe, como febre, dores de cabeça, náusea, vómitos, dores musculares e uma urticária parecida com sarampo.

Em 1% dos casos, a dengue causa uma febre hemorrágica, responsável pela morte de cerca de 22.000 pessoas por ano, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS). A doença é endémica no Brasil.

A investigação fez uma revelação preocupante: para além dos dois anticorpos que destroem o Zika, a maioria das moléculas ativas contra a dengue podem aumentar a potência do Zika.

Isto sugere que uma prévia exposição ao vírus da dengue "pode aumentar a infeção por Zika", disse Gavin Screaton, do Imperial College London, outro dos autores dos estudos.

"Isto pode explicar por que o atual surto tem sido tão severo e por que ocorre em áreas onde a dengue é prevalecente", referiu.

Esta descoberta sublinhou a importância de utilizar os anticorpos corretos na vacina contra o Zika, disse Rey.

  • Negócios do Fogo
    22:00
  • Direção da Raríssimas na Madeira demitiu-se em setembro
    1:58

    País

    Três representantes da Raríssimas na ilha da Madeira demitiram-se, em setembro, de costas voltas para a direção. A delegação da instituição na ilha começou em 2015 e fechou com as três demissões. Em entrevista à SIC, uma das antigas delegadas afirmou que todos os fundos angariados foram para a sede, em Lisboa, ficando depois sem dinheiro para pagar as despesas.

  • Deputado do PSD recusa vice-presidência da Raríssimas
    1:58

    País

    Nas reações políticas ao caso da Raríssimas, o PSD e CDS dizem que é preciso acionar todos os mecanismos legais apropriados para averiguar a situação. O deputado social-democrata, Ricardo Baptista Leite, que tinha sido convidado recentemente para vice-presidente da instituição, diz que já não há condições para tomar posse.

  • Turistas aproveitam nevão na Serra da Estrela
    1:23
  • Fortes nevões no norte da Europa
    0:59
  • Dezenas de feridos em protestos contra decisão de Trump em Israel
    1:55
  • A brincadeira de um youtuber que podia ter acabado mal

    Mundo

    Um jovem youtuber inglês enfiou a cabeça num saco de plástico, prendeu-a na parte interna de um microondas e encheu depois o eletrodoméstico com cimento. A brincadeira, que podia ter acabado de forma trágica, deixou o jovem completamente preso e obrigou à intervenção dos serviços de emergência.

    SIC

  • "Popeye" russo pode ter que amputar braços

    Mundo

    Um jovem russo injetou um óleo no corpo para conseguir ter músculos, mais propriamente nos seus braços, que já cresceram cerca de 25 centímetros. Contudo, segundo um médico, o procedimento pode levar à necessidade de amputação, deixando o jovem sem os membros.