sicnot

Perfil

Vistos gold

Vistos gold

Vistos Gold

Ex-presidente do Instituto dos Registos e Notariado foi libertado

O ex-presidente do Instituto dos Registos e Notariado (IRN), António Figueiredo, que estava em prisão domiciliária no âmbito do processo dos vistos Gold foi libertado por ter expirado o prazo máximo da medida de coação, disse à Lusa o seu advogado.

(Arquivo)

(Arquivo)

SIC

Na terça-feira, o juiz Carlos Alexandre, do Tribunal Central de Instrução Criminal (TCIC), decidiu marcar para 8 de abril a decisão de levar ou não a julgamento os arguidos do processo dos vistos Gold.

Durante o debate instrutório, Carlos Alexandre disse que expirava na sexta-feira o prazo máximo para que o arguido António Figueiredo, antigo presidente do Instituto de Registos e Notariado, pudesse estar em prisão domiciliária com pulseira eletrónica, passando, por isso, a ficar em liberdade.

O caso dos vistos Gold tem 17 arguidos, incluindo o ex-ministro da Administração Interna Miguel Macedo, o ex-diretor nacional do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras Manuel Jarmela Palos, o ex-presidente do Instituto de Registos e Notariado António Figueiredo e a ex-secretária-geral do Ministério da Justiça Maria Antónia Anes.

O processo dos vistos Gold surgiu na sequência da Operação Labirinto, que, em novembro de 2014, envolveu várias buscas e 11 detenções.

A Operação Labirinto estava relacionada com a aquisição de vistos Gold e investiga indícios de corrupção ativa e passiva, recebimento indevido de vantagem, prevaricação, peculato de uso, abuso de poder e tráfico de influência.

Lusa

  • António Figueiredo vai para prisão domiciliária
    1:10

    País

    António Figueiredo, principal arguido do processo "Vistos Gold" e antigo presidente do Instituto dos Registos e Notariado, deixou hoje a cadeia e vai passar a estar em prisão domiciliária. A acusação deverá ser conhecida até ao final da semana.

  • Ex-presidente do Instituto de Registos e Notariado nega crime de branqueamento
    1:52

    País

    Começou esta manhã a fase instrutória do caso dos Vistos Gold. É uma espécie de pré-julgamento em que os arguidos apresentam argumentos para arquivar o processo. Na primeira sessão, o antigo presidente do Instituto de Registos e Notariado, António Figueiredo, falou para negar um dos crimes de branqueamento de que está acusado. A defesa de Manuel Palos, antigo diretor do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF), não pediu a abertura de instrução. O advogado João Medeiros argumenta que quer seguir o mais rápido possível para julgamento.

  • Rúben Lima nega crimes de corrupção no processo Cashball
    6:04

    Desporto

    Rúben Lima, um dos oito jogadores suspeitos de terem sido aliciados por intermediários ao serviço do Sporting para beneficiar o clube de Alvalade, nega todos os crimes investigados pela Polícia Judiciária. Numa entrevista exclusiva à SIC, o jogador do Moreirense garante que não conhece nenhum dos quatro arguidos detidos no âmbito do processo Cashball.

    Exclusivo SIC

  • Partido Podemos com votação inédita em Espanha
    1:32

    Mundo

    Há uma votação inédita em Espanha. O Podemos começou esta terça-feira a decidir a continuidade do líder do partido, depois de Pablo Iglesias e a companheira terem comprado uma casa de 600 mil euros.

  • A maior obra de reconversão urbana em Portugal 20 anos depois
    3:47