sicnot

Perfil

Avião desaparecido

Avião desaparecido

Voo MH370

Malaysia Airlines em falência técnica

A Malaysia Airlines está "tecnicamente falida". Quem o disse foi o novo CEO da empresa que anunciou a eliminação de 6.000 postos de trabalho.

© Olivia Harris / Reuters

"Estamos  tecnicamente falidos e a queda começou após os acontecimentos trágicos de 2014" explicou o  CEO da Malaysia Airlines,  Christoph   Mueller, referindo-se aos   dois   acidentes aéreos registados o ano passado, em que morreram 537 pessoas.

De acordo com a imprensa local, c
erca de 20.000 funcionários da companhia aérea Malaysia Airlines receberam cartas de despedimento no âmbito dos planos de reestruturação traçados para criar uma transportadora rentável.

Contudo, dois terços dos trabalhadores -- aproximadamente 14.000 -- devem receber, nos próximos dias, uma nova oferta de emprego da transportadora que irá substituir a companhia aérea de bandeira malaia.

Entre os restantes 6.000 -- um terço do total -- aqueles que estão há menos de dez anos na empresa vão ser compensados com um mês de salário por cada ano de trabalho, enquanto aos que se encontravam em funções há mais de uma década vai ser oferecida uma indemnização de mês e meio por ano. 

Todos têm até ao próximo dia 12 de junho para decidirem se aceitam ou recusam a oferta por parte da Malaysia Airlines.

Mohammad Faiz Azmi, diretor-executivo da PricewaterhouseCoopers (PwC), foi o responsável por assinar os despedimentos após ter sido nomeado, há uma semana, administrador da Malaysia Airlines.

O novo administrador vai dirigir o processo de dissolução da Malasysia Airlines e constituição da nova companhia, com data prevista para 01 de setembro.

A nova empresa -- em que vão trabalhar dois terços dos funcionários da anterior -- terá uma dimensão mais maneável e as suas operações centrar-se-ão fundamentalmente na Malásia.

O diretor executivo da Malaysia Airlines, o alemão Christoph Mueller, disse em comunicado que as operações vão continuar com normalidade, sem que a transição afete os voos previstos e reservas efetuadas.

A Malaysia Airlines somava vários exercícios com perdas financeiras, quando dois acidentes aéreos a colocaram numa delicada situação em 2014.

A 08 de março do ano passado, um avião, com o código de voo MH370, com 239 pessoas a bordo desapareceu quando realizava a rota Kuala Lumpur-Pequim.

Quatro meses depois, uma aeronave da mesma companhia (voo MH17), com 298 pessoas a bordo, foi abatida por um míssil no leste da Ucrânia.
  • A fuga dos PIDES
    1:16

    Perdidos e Achados

    Ao final do dia 29 de Junho de 1975, 89 agentes da PIDE fugiam da cadeia de Vale de Judeus, em Alcoentre. Mais de 40 anos depois, Perdidos e Achados recupera um dos acontecimentos do Verão Quente em Portugal. Hoje no Jornal da Noite e conteúdos exclusivos no site.

    Hoje no Jornal da Noite

  • Uma volta a Portugal. De bicicleta mas sem licra

    País

    Um grupo de professores propõe-se a repetir o percurso da 1.ª Volta a Portugal em Bicicleta, 90 anos depois. Não se trata de uma corrida, pelo contrário querem provar que qualquer um o pode fazer e promover o uso da bicicleta como meio de transporte pessoal. “Dar a volta” parte para a estrada esta quarta-feira, de Lisboa a Setúbal, tal como em 26 de abril de 1927.

    Ricardo Rosa

  • Casa Madonna di Fatima em Roma é um lar de idosos com 9 irmãs portuguesas
    4:29

    Mundo

    A mais antiga igreja dedicada à Senhora de Fátima em Roma tem mais de 50 anos. Foi construída pelas franciscanas hospitaleiras do Imaculado Coração, uma congregação fundada em Portugal. Hoje, as religiosas portuguesas gerem um lar na mesma rua, mas o templo foi entregue a uma congregação italiana.