sicnot

Perfil

Avião desaparecido

Avião desaparecido

Voo MH370

Processos de familiares de vítimas do voo MH370 aumentam

O número de processos de familiares das 239 pessoas que estavam no avião da Malaysia Airlines desaparecido a 8 de março de 2014 aumentou, quando se aproxima o fim do prazo para recorrerem à justiça.

Na imagem, a mãe de um dos passageiros do voo MH370 da Malaysia Airlines, desaparecido a 8 de março do ano passado. No papel exibe a seguinte frase: "Um avião não pode desaparecer e as famílias não podem desistir daquilo que sentem pelos seus entes queridos".

Na imagem, a mãe de um dos passageiros do voo MH370 da Malaysia Airlines, desaparecido a 8 de março do ano passado. No papel exibe a seguinte frase: "Um avião não pode desaparecer e as famílias não podem desistir daquilo que sentem pelos seus entes queridos".

© Kim Kyung Hoon / Reuters

Várias firmas de advogados dos Estados Unidos, Malásia e Austrália disseram à AFP que começaram a apresentar processos em nome de dezenas de familiares das 239 pessoas do voo MH370, para compensações por danos.

A companhia aérea informou em "várias ocasiões" do período limite de dois anos para os afetados tomarem "as medidas necessárias para preservar os seus direitos legais", segundo um comunicado da empresa citado pela Efe.

O referido período termina em menos de duas semanas, segundo a Convenção de Montreal referida pela Malaysia Airlines num comunicado, informou o diário de Singapura "The Strait Times".

Não foi rejeitado nenhum dos 96 pedidos apresentados até agora, segundo o mesmo comunicado.

A Malaysia Airlines indicou que já atribuiu a compensação total a 42 famílias que perderam pessoas na tragédia, que continua a ser um mistério.

O avião da companhia aérea malaia desapareceu depois de ter mudado de direção numa "ação deliberada", segundo peritos, 40 minutos após a descolagem em Kuala Lumpur, com direção a Pequim.

As buscas pelo aparelho centram-se numa área de 120 mil quilómetros quadrados no oceano Índico a cerca de 1.800 quilómetros a oeste da cidade australiana de Perth.

Em julho passado, equipas descobriram o fragmento de uma asa do MH370 na ilha de Reunião, situada a leste de Madagáscar, o que corresponde ao único indício tangível de que o avião se despenhou no oceano Índico.

Lusa

  • "Quem faz isto sabe estudar os dias e o vento para arder o máximo possível"
    4:15
  • O balanço trágico dos incêndios do fim de semana
    0:51

    País

    Mais de 500 mil hectares de área ardida, 42 vítimas mortais, 71 de feridos, dezenas de casas e empresas destruídas. É este o balanço de mais um fim de semana trágico para Portugal a nível de incêndios florestais.

  • 2017: o ano em que mais território português ardeu
    1:41

    País

    Desde janeiro, houve mais área ardida do que em qualquer outro ano na história registada de incêndios florestais. Segundo dados provisórios do Sistema Europeu de Informação sobre Fogos Florestais, mais de 519 mil hectares foram consumidos pelas chamas até 17 de outubro, o que representa quase 6% de toda a área de Portugal. 

  • "Viverei com o peso na consciência até ao último dia"
    3:00
  • O que resta de Tondela depois dos incêndios
    1:07

    País

    O concelho de Tondela é agora um mar de cinzas, imagens recolhidas pela SIC com um drone mostram bem a dimensão do que foi destruído pelos incêndios. Perto 100 habitações principais ou secundárias, barracões, oficinas e stands arderam. 

  • Moradores reuniram esforços para salvar idosos das chamas em Pardieiros
    2:50

    País

    O incêndio de domingo em Nelas fez uma vítima mortal: um homem de 50 anos, de Caldas da Felgueira, que regressava de uma aldeia vizinha, onde tinha ido ajudar a combater as chamas. Em Pardieiros, no concelho de Carregal do Sal, várias casas arderam e uma jovem sofreu queimaduras ao fugir do incêndio. Durante o incêndio, pessoas reuniram esforços para salvar a povoação.

  • A fotografia que está a correr (e a impressionar) o Mundo

    Mundo

    A fotografia de uma cadela a carregar, na boca, o cadáver calcinado da cria está a comover o mundo. Entre as muitas fotografias que mostram o cenário causado pelos incêndios que devastaram a Galiza nos últimos dias, esta está a causar especial impacto. O registo é do fotógrafo Salvador Sas, da agência EFE. A imagem pode impressionar os mais sensíveis.

  • As lágrimas do primeiro-ministro do Canadá

    Mundo

    O primeiro-ministro da Canadá, Justin Trudeau, emocionou-se esta quarta-feira ao falar de um artista que morreu depois de perder uma luta contra o cancro. Gord Downie, vocalista da banda de rock canadiana "The Tragically Hip", faleceu esta terça-feira, aos 53 anos, vítima de um tumor cerebral.