sicnot

Perfil

Avião desaparecido

Avião desaparecido

Voo MH370

Malásia não assinala oficialmente aniversário do desaparecimento do MH370

A Malásia não vai organizar qualquer ato oficial pelo segundo aniversário do desaparecimento do avião com o código de voo MH370, da Malaysia Airlines, cuja busca prossegue no Oceano índico, informaram hoje fontes oficiais.

© Jason Lee / Reuters

O ministro dos Transportes malaio, Liow Tiong Lai, disse o presidente do parlamento vai proferir um breve discurso para recordar as 239 pessoas que seguiam a bordo do avião, que desapareceu a 08 de março de 2014, quando fazia a rota entre Kuala Lumpur e Pequim, segundo declarações citadas pelo diário The Star.

Uma operação liderada pela Austrália, em que também participam a Malásia e a China, prevê terminar em junho o rastreio da área de 120 mil quilómetros quadrados localizada numa zona remota do Oceano Índico onde se acredita que podem estar os destroços do avião.

Liow Tiong Lai evitou indicar se a busca vai continuar no caso de o rastreio ao fundo marinho for infrutífero, garantindo que tal decisão deve ser tomada em conjunto pelas autoridades dos três países envolvidos.

A Autoridade Australiana de Segurança dos Transportes (ATSB, na sigla em inglês) informou, há duas semanas, que as buscas não vão ser alargadas se a atual operação no Oceano Índico não der resultados.

Lusa

  • Portugueses querem contratar Obama

    Mundo

    Contratar Barack Obama. Pode parecer uma tarefa impossível, mas para a startup portuguesa Swonkie a única resposta a este desafio é "Yes We Can", mote da campanha presidencial de Obama de há nove anos.

  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.