sicnot

Perfil

Avião desaparecido

Avião desaparecido

Voo MH370

Famílias dos desaparecidos no voo MH370 pedem buscas na costa africana

Uma associação de familiares dos desaparecidos no voo MH370 da Malaysia Airlines pediu que sejam iniciadas buscas exaustivas na costa da África oriental, depois de terem sido encontrados, em Moçambique, destroços que podem ser do avião.

© Damir Sagolj / Reuters

"Pedimos o apoio dos recursos navais [das nações do leste de África] que possam rastrear os locais desabitados e áreas pantanosas (...) para que todos os destroços sejam recolhidos e analisados", expressou a organização Voice370, em comunicado.

O voo MH370 desapareceu a 08 de março de 2014 com 239 pessoas a bordo.

Um fragmento foi encontrado no início da semana num banco de areia de Paluma, perto de Vilanculos, sul de Moçambique.

O ministro dos Transportes malaio, Liow Tiong Lai, disse na quarta-feira que informações iniciais apontavam para uma "grande possibilidade" de o fragmento pertencer a um Boeing 777, o mesmo modelo do voo MH370.

O destroço vai agora ser transportado para a Austrália para ser analisado.

Lusa

  • Salah Abdeslam deixa cadeira vazia na leitura da sua sentença
    2:05

    Mundo

    O único suspeito vivo dos ataques de Paris em 2015 foi esta segunda-feira condenado a 20 anos de prisão por um tribunal belga, num processo paralelo: um tiroteio em março de 2016, em Bruxelas. Tanto Salah Abdeslam como o cúmplice não quiseram estar na leitura da sentença. O julgamento de Salah Abdeslam pelos ataques de Paris só deverá acontecer no próximo ano, em França.

  • Beyoncé e a irmã caem no Coachella e o vídeo torna-se viral

    Cultura

    Beyoncé voltou este fim de semana a subir ao palco do Coachella, depois de ter atuado na primeira semana do festival que decorreu no deserto da Califórnia, nos EUA. A cantora norte-americana voltou a brilhar, mas foi o momento em que caiu no palco com a irmã, Solange, que acabou por se tornar viral.

    SIC

  • Cientistas querem sequenciar genomas de 15 milhões de espécies

    Mundo

    Um consórcio internacional de cientistas, que por enquanto não inclui portugueses, propõe-se sequenciar, catalogar e analisar os genomas (conjuntos de informação genética) de 15 milhões de espécies, uma tarefa que levará dez anos a fazer, foi divulgado esta segunda-feira.