sicnot

Perfil

Avião desaparecido

Avião desaparecido

Voo MH370

Buscas pelo MH370 prestes a serem suspensas

© POOL New / Reuters

As buscas para encontrar os destroços do MH370 da Malasya Airlines vão ser suspensas. Os ministros dos Transportes da Malásia, China e Austrália assim o decidiram, caso nada for encontrado na área que está agora a ser investigada.

O Boeing 777 levava 239 pessoas a bordo e desapareceu em março de 2014, num voo de Kuala Lumpur com destino a Pequim. Desde então, quase 163 milhões de euros foram gastos nas investigações no sul do Oceano Indico.

"Na ausência de novas evidências na área que falta investigar, a Malásia, China e Austrália concordaram em suspender as buscas", disse o ministro dos Transportes da Malásia, Liow Tiong.

As famílias das vítimas, maioritariamente da China, têm pressionado por respostas, desde que o avião desapareceu. O mais certo é que recusem a suspensão das buscas.

Liown garantiu que a equipa de investigação "não está a desistir de encontrar o avião", apenas esperam que novas evidências apareçam, para que deste modo possam ter algo mais concreto.

Em 2015, os investigadores da Malásia avançaram que não encontraram nada suspeito nos históricos médicos, financeiros e pessoais dos pilotos e do staff.

© Olivia Harris / Reuters

Os destroços

As buscas decorrem há mais de dois anos e, desde então, nada foi encontrado dos destroços principais.

Os investigadores holandeses acreditam que o avião possa ter deslizado para o fundo do mar, em vez de ter ficado a flutuar, o que significa que as buscas possam estar a ser feitas no lugar errado. No entanto, esta teoria não é defendida por todos.

© Jacky Naegelen / Reuters

Foram recuperadas cinco peças em praias na costa oriental de África, em Moçambique, África do Sul, Ilhas Maurícias e nas ilhas francesas de Reunião e Rodrigues, que os investigadores confirmaram como fazendo parte do Boeing desaparecido e que as correntes marítimas terão transportado a partir da zona das buscas até ao continente africano.

Os investigadores analisaram ainda outras oito peças encontradas na costa oriental africana.

© Grant Neuenburg / Reuters

  • Costa desvaloriza ameaça e mantém planos de visita a Angola
    2:27

    Economia

    O governo angolano reagiu duramente à acusação do Ministério público portugues contra o vice-presidente de Angola. Luanda diz que a acusação é um sério ataque à República de Angola que pode perturbar as relações entre os dois paises. António Costa desvaloriza a ameaça e mantém os planos de uma visita a Angola na primavera.

  • Ferro Rodrigues desvaloriza críticas do CDS
    3:24

    Caso CGD

    Marcelo Rebelo de Sousa fez questão de receber em público Ferro Rodrigues antes de um almoço com o presidente da Assembleia da República. O Presidente também recebeu a representante do CDS-PP, Assunção Cristas, que foi apresentar queixa de Ferro Rodrigues e da maioria de esqueda em relação à comissão de inquérito da Caixa Geral de Depósitos. Ferro Rodrigues desvalorizou as críticas.

  • Luaty Beirão agredido em manifestação em Luanda
    1:27

    Mundo

    Luanda tem sido palco de várias manifestações contra a forma como está a decorrer o processo eleitoral em Angola. Esta sexta-feira, uma dessas manifestações acabou em confrontos com as autoridades. Entre os manifestantes estava o ativista Luaty Beirão.

  • Regime de Pyongyang nega envolvimento na morte de Kim Jong-nam 
    1:53

    Mundo

    A polícia da Malásia diz que o irmão do líder da Coreia do Norte foi morto com uma arma química. Os investigadores encontraram vestígios de gás VX no corpo de Kim Jong-nam, um gás letal proibido pelas convenções internacionais. O Governo da Coreia do Sul pediu esta sexta-feira ao regime de Pyongyang que admita que está por detrás da morte de Kim Jong-nam mas o mesmo já veio negar o envolvimento no assassinato.