sicnot

Perfil

Avião desaparecido

Avião desaparecido

Voo MH370

Voo da Malaysia Airlines desaparecido mergulhou no oceano a grande velocidade

© Olivia Harris / Reuters

O voo MH370 da Malaysia Airlines desaparecido há mais de dois anos mergulhou a grande velocidade no oceano, na zona onde decorrem as buscas, segundo um estudo publicado hoje.

O Boeing 777 da companhia aérea malaia desapareceu a 8 de março de 2014 com 239 pessoas a bordo, pouco depois de descolar de Kuala Lumpur com destino a Pequim, e ter-se-á despenhado no oceano Índico.

As operações de busca lideradas pela Austrália concentram-se numa vasta zona de 120.000 quilómetros quadrados, cerca de três vezes a superfície da Suíça.

Alguns especialistas admitem que, com alguém aos comandos, o aparelho pode ter sido conduzido para bem longe da zona de buscas.

Mas estudos encomendados pela Boeing e novos dados do Departamento da Defesa australiano sugerem que, independentemente do papel dos pilotos, o avião mergulhou na água a uma velocidade muito elevada, de cerca de 20.000 pés por minuto, segundo o jornal The Australian.

Quando o MH370 ficou sem combustível e os motores se incendiaram, abrandou antes de se precipitar, descendo dos 35.000 pés a uma velocidade entre os 12.000 e os 20.000 pés por minuto, segundo o relatório da Boeing.

Por outro lado, dados obtidos pelo Departamento de Defesa australiano parecem confirmar este mergulho acentuado, com informações sobre sinais enviados automaticamente entre o avião e um satélite.

Lusa

  • Se

    Se Jaime Marta Soares tiver razão, se a ciência e as autoridades não forem - outra vez? - manipuladas pelo poder político, se a investigação - independente - concluir que o fogo começou muito antes da trovoada, então, estamos diante de um dos maiores embustes do Portugal democrático.

    Pedro Cruz

  • Chamas no concelho de Torre de Moncorvo ameaçaram aldeia
    1:30

    País

    Dois incêndios no concelho de Torre de Moncorvo deram luta aos bombeiros na tarde de ontem e também durante toda a noite. As chamas estiveram muito próximas da aldeia de Cabanas de Cima, mas os bombeiros conseguiram desviar o fogo.

  • "Teria sido muito mais fácil para mim, perante as dificuldades, demitir-me"
    0:31
  • Governo cria fundo de apoio para as pessoas afetadas pelos incêndios
    1:25

    Tragédia em Pedrógão Grande

    O ministro do Planeamento e Infraestruturas reuniu-se esta quarta-feira com os autarcas de Figueró dos Vinhos, Castanheira de Pera e Pedrógão  Grande. O Governo criou um fundo financeiro, com o contributo dos portugueses, para apoiar a reconstrução das habitações e a vida das pessoas afetadas pelos incêndios que lavram desde sábado. O fundo será aprovado quinta-feira em Conselho de Ministros.

  • A reconstrução da Nacional 236
    1:44
  • Harry admite que ninguém na família real britânica quer ser rei ou rainha

    Mundo

    O príncipe Harry admitiu que nenhum dos mais jovens membros da família real britânica quer ser rei ou rainha. Numa entrevista exclusiva à revista norte-americana Newsweek, na qual aborda temas como a morte da mãe, que perdeu com apenas 12 anos, Harry afirma que ele e o irmão estão empenhados em "modernizar a monarquia".

    SIC