sicnot

Perfil

New Articles

Paulo Portas reafirma que a situação portuguesa é diferente da grega

Paulo Portas reafirma que a situação portuguesa é diferente da grega

O vice-primeiro-ministro, Paulo Portas, disse hoje que a situação de Portugal não tem semelhanças com a grega e escusou-se a comentar o referendo que acontece este domingo em dia de reflexão na Grécia.

Em visita a uma feira de produtos portugueses em Bruxelas, capital da Bélgica, o também líder do CDS-PP não quis referir-se à consulta popular na Grécia, em que os eleitores vão votar sobre se aceitam as condições impostas pelos credores para ser dada ajuda financeira ao país, afirmando que não faz comentários sobre "um referendo que se passa noutro país e está em dia de reflexão", mas fez questão de sublinhar que considera que a situação de Portugal e da Grécia são distintas.

"Portugal já terminou o programa com a 'troika', Portugal não teve programa cautelar, não pediu mais dinheiro, não pediu mais tempo. O país vai ter um défice inferior a 3%, pela primeira vez ficará livre de sanções ou ameaças, vai ter acesso a flexibilidade, temos o investimento a disparar, as exportações a crescer, a economia a melhorar e a criação de emprego finalmente a dar resultados positivos. Nada disto repito, com todo o respeito, tem a ver com a situação na Grécia", afirmou Paulo Portas em declarações aos jornalistas.

 

Lusa

  • "Este é o elefante na sala sobre a saúde!"
    1:43

    País

    Catarina Martins acusa o Governo de estar alinhado com a direita na promoção de negócios privados na área da saúde. O Bloco de Esquerda quer uma nova lei de bases aprovada até ao final da legislatura e arrancou ontem com um ciclo nacional de sessões públicas para defender o Serviço Nacional de Saúde.

  • Marido de idosa que morreu na Sertã teve de caminhar durante duas horas para pedir ajuda
    1:44

    País

    A Altice garantiu esta sexta-feira que tentou agendar, por duas vezes, a reposição da linha telefónica na casa da idosa da Sertã, que morreu na semana passada por não ter comunicações que permitissem um socorro rápido. A mulher sentiu-se mal e o marido teve de caminhar durante duas horas para conseguir chegar à casa do vizinho mais próximo e pedir ajuda.

  • "No meu bairro perguntam-me se a medalha é de ouro e dizem que ma vão roubar e vender"
    4:46
  • Como é que alguém (Rúben Semedo) com tanto pode perder tudo?
    3:05