Última Edição

0
0:05

Última Edição

1
3:17

Passos diz que termina o mandato com a situação do país resolvida

2
0:45

Durão Barroso deixa elogios ao trabalho do PSD no Governo

3
1:28

Francisco Pinto Balsemão faz votos para que Passos volte a ser primeiro-ministro

4
0:57

Luís Montenegro defende que a coligação está coesa

5
0:58

António Costa admite mexer nos escalões do IRS para diminuir a carga fiscal

6
1:43

Ministro diz que ameaça de novas greves na TAP é irresponsável

7
1:42

Presidente diz que ANA fica entre "a espada e a parede" com a taxa turística em Lisboa

8
1:58

Confederação do Turismo espera fatura elevada para o país devido à greve na TAP

9
2:38

Justiça brasileira quer Duarte Lima em prisão preventiva até ao julgamento

10
1:18

Dias Loureiro investigado por burla e fraude fiscal qualificada

11
0:27

Impresa entre as 40 empresas mais inovadoras nos mercados operados pela EnterNext

12
3:01

Eleições gerais do Reino Unido são das mais importantes das últimas décadas

13
2:22

Afastada qualquer hipótese de acordo entre a Grécia e o Eurogrupo

14
1:22

Mulheres raptadas pelo Boko Haram começam a contar histórias de horror

15
1:13

SAD do FC Porto lança empréstimo obrigacionista de 40 milhões de euros

16
3:13

"Perseguição Escaldante" junta Sofia Vergara e Reese Witherspoon

14:24 04.11.2011

França e Reino Unido abstêm-se em votação sobre admissão da Palestina, Portugal mantém abertura

REUTERS Arquivo Reuters

França e Reino Unido vão abster-se na votação de qualquer resolução sobre a admissão da Palestina como Estado membro das Nações Unidas, enquanto Portugal mantém em aberto uma posição final, disseram à Lusa fontes diplomáticas na ONU.

De acordo com uma fonte diplomática de um país europeu com poder de veto no Conselho de Segurança, não vai haver em relação à questão palestiniana coordenação de voto entre os 4 países da União Europeia no organismo - França, Reino Unido, Alemanha e Portugal.

As posições de França e Reino Unido deverão ser expostas a nível nacional nos próximos dias, adiantou a mesma fonte.

Embora ainda não esteja agendada uma votação sobre o pedido de admissão palestiniano, a correlação de forças contra e a favor será determinante para um dos países membros do Conselho de Segurança mais próximos da Palestina, como o Líbano, vir a promover a submissão de uma resolução a votação.

Quinta feira, realizou-se na sede da ONU a primeira reunião em que os diferentes países declararam a sua posição em relação à admissibilidade da candidatura palestiniana.

Entre os países favoráveis contam-se Rússia, China, África do Sul, Brasil, Índia e Líbano.

Outros países membros reservaram a sua posição, caso de Portugal, que preside em novembro ao Conselho de Segurança, e também da Alemanha.

Contactada pela Lusa, fonte da missão portuguesa adiantou que a missão considera que a Palestina "reúne as condições" para a admissão como membro da ONU, mas sublinha que é "importante ter em conta um processo negocial que conduza a uma solução pacífica com dois Estados", israelita e palestiniano.

Na quarta feira, o embaixador português na ONU, Moraes Cabral, disse que Portugal não iria decidir "no vago e em abstrato", e que a "resolução  [sobre a admissão], se existir até pode ter diferentes formulações".

Portugal absteve-se na votação da admissão da Palestina como membro da UNESCO, agência da ONU para a Educação e Cultura, enquanto países europeus como a França ou a Espanha votaram a favor.

Em relação a pedidos de admissão palestinianos a entidades do sistema Nações Unidas, Moraes Cabral afirma que "cada situação será apreciada pelo seu justo valor".

Para ver aprovada a sua candidatura, a Palestina vai precisar de nove votos favoráveis, e que nenhum dos cinco membros com poder de veto - Estados Unidos, Reino Unido, China, Rússia e França - bloqueie o processo.

Washington, contudo, opõe-se totalmente à adesão da Palestina e já anunciou a intenção de vetar qualquer resolução.

O pedido de admissão deu entrada no Conselho de Segurança no final de setembro, pela mão do presidente da Autoridade Palestiniana, e os 15 países membros decidiram então remetê-lo para um grupo de trabalho especializado.

Lusa

Comentários

ATENÇÃO:ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.
Publicidade

Agora

Inquérito

Facebook

Mais Populares

Comentários

Publicidade

Agora

Inquérito

Facebook

Mais Populares

Mundo

Publicidade

Agora

Inquérito

Facebook

Mais Populares

CT: NEWS
23:26
Iémen pede intervenção militar terrestre da comunidade internacional
23:12
Concentração dióxido carbono na atmosfera bate recorde em março
23:11
Semana criativa de Lisboa até 6ª feira no convento da trindade
22:54
António Costa admite baixar os impostos sobre o trabalho
22:53
Clã em concerto dia 4 de julho no teatro São Luiz, em Lisboa
22:53
Anselmo Ralph a 11 de julho no Pavilhão Rosa Mota, no Porto
22:52
Pólo Norte atuam a 9 de junho no pavilhão Multiusos de Guimarães
22:52
João Mortágua a 16 de junho na Casa da Música, no Porto
22:51
Jorge Palma & Sérgio Godinho dia 30 no CC Olga Cadaval, Sintra
22:51
Joan Manuel Serrat a 4 de junho no coliseu dos Recreios, Lisboa
X

Sabia que o seu Internet Explorer está desatualizado?

Para usufruir da melhor experiência de navegação na nossa página web recomendamos que atualize para uma nova versão. Por favor faça a atualização aqui .