sicnot

Perfil

Mundo

França e Reino Unido abstêm-se em votação sobre admissão da Palestina, Portugal mantém abertura

França e Reino Unido vão abster-se na votação de qualquer resolução sobre a admissão da Palestina como Estado membro das Nações Unidas, enquanto Portugal mantém em aberto uma posição final, disseram à Lusa fontes diplomáticas na ONU.

Arquivo Reuters

Arquivo Reuters

© Sharif Karim / Reuters

De acordo com uma fonte diplomática de um país europeucom poder de veto no Conselho de Segurança, não vai haver em relação à questãopalestiniana coordenação de voto entre os 4 países da União Europeia noorganismo - França, Reino Unido, Alemanha e Portugal.

As posições de França e Reino Unido deverão ser expostasa nível nacional nos próximos dias, adiantou a mesma fonte.

Embora ainda não esteja agendada uma votação sobre opedido de admissão palestiniano, a correlação de forças contra e a favor serádeterminante para um dos países membros do Conselho de Segurança mais próximosda Palestina, comoo Líbano, vir a promover a submissão de uma resolução a votação.

Quinta feira, realizou-se na sede da ONU a primeirareunião em que os diferentes países declararam a sua posição em relação àadmissibilidade da candidatura palestiniana.

Entre os países favoráveis contam-se Rússia, China,África do Sul, Brasil, Índia e Líbano.

Outros países membros reservaram a sua posição, caso dePortugal, que preside em novembro ao Conselho de Segurança, e também daAlemanha.

Contactada pela Lusa, fonte da missão portuguesa adiantouque a missão considera que a Palestina "reúne as condições" para a admissão comomembro da ONU, mas sublinha que é "importante ter em conta um processonegocial que conduza a uma solução pacífica com dois Estados", israelita epalestiniano.

Naquarta feira, o embaixador português na ONU, Moraes Cabral, disse que Portugalnão iria decidir "no vago e em abstrato", e que a "resolução  [sobre a admissão], se existir até podeter diferentes formulações".

Portugal absteve-se na votação da admissão da Palestina como membro daUNESCO, agência da ONU para a Educação e Cultura, enquanto países europeus comoa França ou a Espanha votaram a favor.

Em relação a pedidos de admissão palestinianos aentidades do sistema Nações Unidas, Moraes Cabral afirma que "cadasituação será apreciada pelo seu justo valor".

Para ver aprovada a sua candidatura, a Palestina vai precisarde nove votos favoráveis, e que nenhum dos cinco membros com poder de veto -Estados Unidos, Reino Unido, China, Rússia e França - bloqueie o processo.

Washington, contudo, opõe-se totalmente à adesão da Palestina e já anunciou aintenção de vetar qualquer resolução.

O pedido de admissão deu entrada no Conselho de Segurançano final de setembro, pela mão do presidente da Autoridade Palestiniana, e os15 países membros decidiram então remetê-lo para um grupo de trabalhoespecializado.

Lusa

  • Vídeo 360º: nos céus de Lisboa como nunca esteve

    País

    Três Alpha Jet da Força Aérea Portuguesa estiveram presentes sobre o Jamor, durante a final da Taça entre o Benfica e o Vitória de Guimarães. A SIC e o Expresso acompanharam a passagem das aeronaves através da colocação de câmaras 360º no cockpit de duas delas.

  • "Não podemos fazer de Lisboa uma cidade para turistas"
    2:44

    Opinião

    Miguel Sousa Tavares analisou esta segunda-feira, no Jornal da Noite da SIC, o mandato de Fernando Medina na Câmara de Lisboa. O comentador da SIC defendeu que o autarca tem "muitos problemas por resolver" e que a Câmara tem investido "mais na recuperação de zonas em que os lisboetas praticamente não conseguem ir". Sousa Tavares disse ainda que Lisboa não pode ser uma cidade para turistas.

    Miguel Sousa Tavares

  • "Putin é uma ameaça maior do que o Daesh"
    0:24

    Mundo

    O senador norte-americano John McCain atacou Vladimir Putin dizendo que é uma ameaça maior do que o Daesh. O antigo candidato à Casa Branca acusa a Rússia de querer destruir a democracia ao tentar manipular o resultado das presidenciais dos Estados Unidos.

  • Gelado de champanhe no centro de mais uma polémica que envolve Ivanka Trump 

    Mundo

    A filha do Presidente Donald Trump está envolvida em mais uma polémica depois de uma publicação da sua marca no Twitter durante o Memorial Day, assinalado esta segunda-feira. Feriado nacional nos Estados Unidos, criado após a Guerra Civil, a data presta homenagem aos militares americanos que morreram em combate. Um dia solene, no qual muitos acolheram mal a dica da marca da atual conselheira da Casa Branca: "Façam gelados de champanhe".

  • Morreu Yoshe Oka, a "hibakusha" que avisou o Japão sobre o ataque a Hiroshima

    Mundo

    Yoshe Oka, a primeira sobrevivente de Hiroshima que informou por telefone as autoridades japonesas sobre a destruição da cidade, em 1945, morreu com 86 anos, vítima de cancro, revelou hoje a família. A "hibakusha", nome pelo qual são conhecidos os sobreviventes dos ataques a Hiroshima e Nagasaki, sofria de doenças relacionadas com os efeitos do bombardeamento. Apesar das consequências do ataque, Oka difundiu, ao longo da vida, a experiência sobre o bombardeamento tendo participado em inúmeros atos pacifistas.