Última Edição

0
0:05

Última Edição

1
1:32

Prisão preventiva de Sócrates pode durar até 4 anos

2
2:44

Investigação a Sócrates devido a movimentos suspeitos em 2013

3
0:46

Sócrates "está muito confiante, muito bem, muito filosófico"

4
1:21

"Este é o tempo da Justiça"

5
0:50

Fundo de Resolução já pagou 30 millhões em juros ao Estado

6
0:36

Orçamento do Estado aprovado na globalidade

7
0:41

Igualdade entre homem e mulher é "contranatura"

8
2:20

Pedro Proença não é nomeado para os jogos em Portugal pela segunda semana seguida

9
4:30

Cante Alentejano pode vir a ser Património Imaterial da Humanidade da Unesco

16:14 05.02.2014

Vaticano "toma nota" das observações da ONU sobre abusos sexuais de menores

REUTERS A general view of St. Peter's square as Pope Benedict XVI conducts a special mass in Vatican City in this October 21, 2012 file photograph. A Vatican court on November 5, 2012, heard how Pope Benedict's former butler, who has been jailed for stealing papal documents, refused to allow technicians to check his computer for six years before his arrest.The detail emerged at the first hearing of the trial of Claudio Sciarpelletti, a computer expert who is charged with aiding and abetting former butler Paolo Gabriele. REUTERS/Stefano Rellandini /Files (VATICAN - Tags: RELIGION CRIME LAW)

A Santa Sé afirmou hoje que "tomou  nota" das observações contidas num relatório do Comité das Nações Unidas  para os Direitos das Crianças, que analisou os abusos sexuais contra menores  cometidos por membros da Igreja Católica.  

"A Santa Sé tomou nota das observações finais" do relatório, considerações  que irá analisar "com atenção", garantiu o Vaticano, num comunicado.  

Na mesma nota informativa, o Vaticano lamentou "uma tentativa de ingerência  no ensinamento da Igreja sobre a dignidade da pessoa e no exercício da liberdade  religiosa", numa alusão às críticas do comité sobre as posições da Santa  Sé contra o aborto e a contraceção.  

O Comité das Nações Unidas para os Direitos das Crianças exigiu num relatório hoje apresentado em Genebra  (Suíça), que o Vaticano entregue à Justiça todos os padres que tenham abusado  sexualmente de menores ou que sejam suspeitos disso, criticando ainda a  atitude de passividade da Santa Sé. 

No documento, o comité sublinhou uma "profunda preocupação quanto aos  abusos sexuais de crianças por membros da Igreja Católica sob a autoridade  da Santa Sé, com religiosos implicados em abusos de dezenas de milhares  de crianças no mundo". 

"O comité está profundamente preocupado pelo Vaticano não reconhecer  a extensão dos crimes cometidos e não tomar as medidas necessárias para  tratar de casos de abusos sexuais de crianças e proteger estas crianças,  não aplicando políticas e práticas que levam ao julgamento e punição destes  abusos", frisou o texto. 

Em declarações à comunicação social em Genebra, a presidente do Comité  das Nações Unidas para os Direitos das Crianças, Kristen Sandberg, afirmou  que o Vaticano violou até à data a Convenção sobre os Direitos da Criança  em matéria de abusos sexuais. 

Quando questionada se as considerações do relatório do comité poderiam  significar que o Vaticano viola a Convenção em matéria de abusos sexuais,  Kristen Sandberg disse: "a minha resposta simples é que sim, existe uma  violação da Convenção até à data porque eles não fizeram tudo aquilo que  poderiam ter feito". 

O relatório hoje apresentado é resultado de uma avaliação realizada  em janeiro passado pelo comité da ONU, que envolveu 18 especialistas independentes  dos direitos humanos de diversos países. 

 

Lusa

Comentários

ATENÇÃO:ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.
Publicidade

Agora

Inquérito

Facebook

Mais Populares

Comentários

Publicidade

Agora

Inquérito

Facebook

Mais Populares

Mundo

Publicidade

Agora

Inquérito

Facebook

Mais Populares

CT: NEWS
X

Sabia que o seu Internet Explorer está desatualizado?

Para usufruir da melhor experiência de navegação na nossa página web recomendamos que atualize para uma nova versão. Por favor faça a atualização aqui .