sicnot

Perfil

Mundo

Vaticano "toma nota" das observações da ONU sobre abusos sexuais de menores

A Santa Sé afirmou hoje que "tomou  nota" das observações contidas num relatório do Comité das Nações Unidas  para os Direitos das Crianças, que analisou os abusos sexuais contra menores  cometidos por membros da Igreja Católica.  

A general view of St. Peter's square as Pope Benedict XVI conducts a special mass in Vatican City in this October 21, 2012 file photograph. A Vatican court on November 5, 2012, heard how Pope Benedict's former butler, who has been jailed for stealing papal documents, refused to allow technicians to check his computer for six years before his arrest.The detail emerged at the first hearing of the trial of Claudio Sciarpelletti, a computer expert who is charged with aiding and abetting former butler Paolo Gabriele. REUTERS/Stefano Rellandini /Files (VATICAN - Tags: RELIGION CRIME LAW)

A general view of St. Peter's square as Pope Benedict XVI conducts a special mass in Vatican City in this October 21, 2012 file photograph. A Vatican court on November 5, 2012, heard how Pope Benedict's former butler, who has been jailed for stealing papal documents, refused to allow technicians to check his computer for six years before his arrest.The detail emerged at the first hearing of the trial of Claudio Sciarpelletti, a computer expert who is charged with aiding and abetting former butler Paolo Gabriele. REUTERS/Stefano Rellandini /Files (VATICAN - Tags: RELIGION CRIME LAW)

© Stefano Rellandini / Reuters

"A Santa Sé tomou nota das observações finais" do relatório, considerações  que irá analisar "com atenção", garantiu o Vaticano, num comunicado.  

Na mesma nota informativa, o Vaticano lamentou "uma tentativa de ingerência  no ensinamento da Igreja sobre a dignidade da pessoa e no exercício da liberdade  religiosa", numa alusão às críticas do comité sobre as posições da Santa  Sé contra o aborto e a contraceção.  

O Comité das Nações Unidas para os Direitos das Crianças exigiu num relatório hoje apresentado em Genebra  (Suíça), que o Vaticano entregue à Justiça todos os padres que tenham abusado  sexualmente de menores ou que sejam suspeitos disso, criticando ainda a  atitude de passividade da Santa Sé. 

No documento, o comité sublinhou uma "profunda preocupação quanto aos  abusos sexuais de crianças por membros da Igreja Católica sob a autoridade  da Santa Sé, com religiosos implicados em abusos de dezenas de milhares  de crianças no mundo". 

"O comité está profundamente preocupado pelo Vaticano não reconhecer  a extensão dos crimes cometidos e não tomar as medidas necessárias para  tratar de casos de abusos sexuais de crianças e proteger estas crianças,  não aplicando políticas e práticas que levam ao julgamento e punição destes  abusos", frisou o texto. 

Em declarações à comunicação social em Genebra, a presidente do Comité  das Nações Unidas para os Direitos das Crianças, Kristen Sandberg, afirmou  que o Vaticano violou até à data a Convenção sobre os Direitos da Criança  em matéria de abusos sexuais. 

Quando questionada se as considerações do relatório do comité poderiam  significar que o Vaticano viola a Convenção em matéria de abusos sexuais,  Kristen Sandberg disse: "a minha resposta simples é que sim, existe uma  violação da Convenção até à data porque eles não fizeram tudo aquilo que  poderiam ter feito". 

O relatório hoje apresentado é resultado de uma avaliação realizada  em janeiro passado pelo comité da ONU, que envolveu 18 especialistas independentes  dos direitos humanos de diversos países. 

 

Lusa

  • Caixa multibanco assaltada em Portugal a cada dois dias
    2:43

    País

    O semanário Expresso conta que a mulher que morreu vítima de um disparo de agentes da PSP foi atingida pelas costas. O caso está a ser investigado pela PJ, que procura encaixar as peças da noite que acabou com uma morte inocente mas que começou com uma perseguição a um grupo de assaltantes de um multibanco. Assaltos que são cada vez mais comuns e que preocupam o Governo. A cada dois dias, uma caixa é assaltada.

  • Metro de Lisboa vai reduzir consumo de água

    País

    O Metro de Lisboa colocou em prática um programa para reduzir o consumo de água devido à situação de seca em Portugal, respondendo assim ao apelo do Ministério do Ambiente, segundo um comunicado divulgado este sábado.