sicnot

Perfil

Mundo

Portugal contribui com 25 mil euros para reconstrução da faixa de Gaza

O Governo português vai contribuir com 25 mil euros para o apoio à reconstrução da faixa de Gaza, anunciou hoje o secretário de Estado dos Assuntos Europeus, Bruno Maçães, na conferência dos doadores, a decorrer no Cairo.  

© Mohamed Abd El Ghany / Reuter

Fonte oficial do ministério dos Negócios Estrangeiros adiantou à Lusa que o governante transmitiu hoje aos conferencistas o "inequívoco apoio de Portugal" e ofereceu uma "contribuição simbólica, no valor de 25 mil euros, para o apoio à reconstrução" da faixa de Gaza, devastada pelo conflito com Israel em julho e agosto deste ano.

A conferência, que hoje decorre no Cairo, é co-organizada pelo Egito e pela Noruega, e tem como finalidade contribuir para uma solução política e duradoura do conflito entre Israel e a Palestina, além de apoiar a reconstrução da região.

O encontro é copresidido pelo secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon; pela Alta Representante da União Europeia para os Negócios Estrangeiros, Catherine Ashton; pelo secretário-geral da Liga Árabe, Nabil Elaraby: pela ministra dos Negócios Estrangeiros de Itália, Federica Mogherini; pelo ministro dos Negócios Estrangeiros de França, Laurent Fabius, e pelo Representante do Quarteto, Tony Blair.

Bruno Maçães participa em representação do ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros, Rui Machete.

Os confrontos na faixa de Gaza, em julho e agosto, fizeram mais de 2.100 mortos no lado palestiniano, em larga maioria civis, e mais de 70 entre os israelitas, dos quais 66 soldados.

Especialistas palestinianos estimaram em seis mil milhões de euros os custos de reconstrução de Gaza e afirmaram que tal deverá demorar cinco anos, na hipótese de um levantamento total do bloqueio imposto por Israel sobre o enclave palestiniano.

 Lusa

  • Suspeito de atropelamento mortal na Luz confessou que esteve no local
    0:45
  • Corrida à Agência Europeia Medicamento "não é fácil", admite Costa
    0:50

    Brexit

    António Costa confirmou a apresentação da candidatura para a transferência da agência europeia do medicamento de Londres para Portugal. À margem da cimeira extraordinário sobre o Brexit, o primeiro-ministro salientou a importância da instalação do instituto no país para reforçar a competitividade no setor