sicnot

Perfil

Mundo

População de pandas gigantes está a aumentar na China

A população de pandas gigantes que vivem em estado selvagem na China aumentou em quase 17% em dez anos graças às medidas de conservação ambientais, informou a imprensa chinesa, ao citar um estudo oficial.

© China Stringer Network / Reut

De acordo com o estudo realizado pela Administração Estatal das Florestas, 1.864 pandas gigantes viviam na China em estado selvagem em 2013, mais 268, o que equivale a um crescimento de 16,9%, explicou a agência Xinhua. 


Paralelamente, o seu habitat cresceu 11,8% para 2,58 milhões de hectares.


A China contava no fim de 2013 com 375 pandas gigantes em cativeiro: 166 machos e 209 fêmeas. 


Pequim leva a cabo o que a AFP descreve como "uma diplomacia do panda" que tem conhecido algum sucesso, com os animais a tornarem-se centro de atenções nos zoológicos dos países de acolhimento. Em junho de 2014, um total de 42 animais vivam em 12 países, segundo o estudo. 


Os pandas selvagens vivem sobretudo nas montanhas do sudoeste da China. 


Mamíferos com um código genético parecido com o dos ursos, os pandas alimentam-se exclusivamente de bambu. Pesam centenas de quilos em média e chegam a medir 1,80 metros. A sua particularidade é possuírem seis dedos.


O Fundo Mundial para a Natureza (WWF na sigla em inglês), que tem no seu logotipo um destes animais, saudou o aumento da população dos pandas gigantes. 

Lusa

  • BE acusa direita de bloquear atual comissão à CGD
    1:37

    Caso CGD

    O Bloco de Esquerda acusa a oposição de estar a fazer tudo para impedir as conclusões da comissão de inquérito sobre a Caixa Geral de Depósitos que está em curso. Numa altura em que PSD e CDS já entregaram o requerimento para avançar com uma segunda comissão, Catarina Martins defende que ainda há muita coisa por apurar sobre o processo de recapitalização do banco público.

  • Visita de Costa a Angola pode estar em risco
    2:26

    País

    A visita de António Costa a Luanda poderá estar em risco devido à acusação da justiça portuguesa contra o vice-Presidente de Angola. O jornal Expresso avança que o comunicado com a reação dura do Governo angolano é apenas o primeiro passo e que pode até estar a ser preparado um conjunto de medidas contra Portugal. Para já, o primeiro-ministro português desvaloriza a ameaça e mantém a visita marcada para a primavera.