sicnot

Perfil

Mundo

Obra Completa do padre António Vieira é oferecida ao papa na quarta-feira

A Obra Completa do padre António Vieira, concluída em dezembro passado, é oferecida na quarta-feira de manhã ao papa Francisco e apresentada pelo bispo Carlos Azevedo, em Roma, na igreja de Santo António dos Portugueses.

(Reuters/Arquivo)

A Obra Completa do padre António Vieira, em 30 volumes divididos em quatro tomos, num total de 15.000 páginas, começou a ser publicada em abril de 2013 e foi considerada, pelo historiador José Eduardo Franco, um dos seus coordenadores, "o maior projeto da história editorial portuguesa".

Segundo Franco, "das 15.000 páginas, cerca de um quarto são de inéditos ou textos parcialmente inéditos, nomeadamente teatro e poesia, da autoria de Vieira, que até os investigadores desconheciam".

José Eduardo Franco coordenou a edição com Pedro Calafate, e afirmou à Lusa que o jesuíta, que viveu entre 1608 e 1697, pode ser hoje visto como um "autor anticrise".

"As soluções que ele apresentou para o país, os escritos dele sobre a nossa mentalidade e os nossos políticos [permitem] dizer que ele é um autor, uma figura histórica anticrise", afirmou José Eduardo Franco, que acrescentou que Vieira "ainda hoje nos ensina a bem falar, bem escrever e bem comunicar a Língua Portuguesa".

Na quarta-feira, pelas 10:00 locais (09:00 em Portugal Continental e Madeira), a Obra Completa é oferecida ao pontífice pelo reitor da Universidade de Lisboa, António Cruz Serra, acompanhado por António Nóvoa, ex-reitor. Fazem ainda parte da comitiva "destacados administradores do conselho de administração e coordenadores da direção editorial do Círculo de Leitores" (CL), segundo comunicado desta editora enviado à Lusa.

 Em declarações à Lusa, a editora do CL Guilhermina Gomes afirmou que a "publicação desta Obra Completa, ao dar a conhecer a um vasto público a magnificência da prosa do Padre António Vieira, escritor maior da língua portuguesa, foi a grande reabilitação da memória".

Referindo-se à audiência no Vaticano, a responsável afirmou: "A nossa oferta ao papa Francisco permite o regresso simbólico a Roma do nosso maior pregador".

Guilhermina Gomes acrescentou que "todos os dias" continuam "a ter no Círculo de Leitores novos subscritores da Obra Completa" e adiantou à Lusa que, a partir do próximo dia 20, "estará em livraria, com a chancela Temas e Debates, a edição de História do Futuro, sendo que, durante este ano, serão publicados mais três livros do autor".

"A Obra Completa do Padre Vieira continua também com sucesso a ser publicada no Brasil", acrescentou Guilhermina Gomes.

Em comunicado, o CL salienta que esta audiência papal "assume outro significado". "Com efeito, os especialistas encontram um grande paralelismo no caráter, nas atitudes, na frontalidade, nos diagnósticos e nas propostas do papa Francisco, formado na Companhia de Jesus, com os do jesuíta António Vieira", afirma o CL.

A Obra Completa juntou 52 investigadores de várias áreas, de Portugal e do Brasil.

À Lusa, José Eduardo Franco destacou a coragem, o "lado frontal" de Vieira e como este "enfrentou os homens do seu tempo".

"Ele tem aquilo que eu chamo uma espécie de património de crítica social e política, que ainda é pertinente para os dias de hoje", disse o historiador que lembrou como o sacerdote, nascido junto à Sé de Lisboa, lutou contra as desigualdades sociais, a opressão do trabalho escravo, criticou a existência de cidadãos de primeira e de segunda, referindo-se ao que na época catalogava como "cristãos-velhos" e "cristãos-novos", e "criticou as estruturas dominantes de corrupção, por exemplo no sermão do bom ladrão".

Também na quarta-feira, às 18:00 locais, em Roma, a Obra Completa do padre António Vieira é apresentada na igreja de Santo António dos Portugueses, onde Vieira pregou.

A apresentação está a cargo de Carlos Azevedo, bispo titular de Belali e delegado pontifício para o Conselho da Cultura. O organista titular da igreja, Giampaolo di Rosa, fará alguns apontamentos musicais, e serão recitadas passagens dos sermões italianos de Vieira.

A sessão conta com a presença, entre outros, do embaixador de Portugal junto da Santa Sé, António de Almeida Ribeiro.



Lusa

  • Autarca garante que não houve "touros de fogo"

    País

    O presidente da Câmara de Benavente disse esta segunda-feira à Lusa que a atividade "touros de fogo" foi retirada do programa da Festa da Amizade depois de recebido um parecer desfavorável da Direção-Geral de Veterinária.

  • Presidente do Brasil formalmente acusado de corrupção

    Mundo

    O Procurador-Geral da República do Brasil apresentou na noite de segunda-feira ao Supremo Tribunal Federal uma denúncia contra o Presidente Michel Temer e o ex-deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR) pelo crime de corrupção passiva.

  • Reconquista de Mossul ao Daesh pode estar para breve
    1:27
  • Homem fala ao telefone com o filho que pensava estar morto

    Mundo

    Um norte-americano que tinha estado presente no funeral do filho recebeu, 11 dias depois, uma chamada telefónica de um homem que o pôs em contacto... com o filho que havia enterrado semana e meia antes. Tudo por causa de um erro do gabinete de medicina legal.