sicnot

Perfil

Mundo

Opel lança sistema em que carro contacta socorro em caso de acidente

A Opel vai estrear no Salão Automóvel de Genebra um novo sistema que, em caso de acidente, põe em contacto, automaticamente, um especialista em emergência com os ocupantes da viatura. 

Opel

Este sistema, chamado OnStar e apresentado hoje aos jornalistas, vai ser lançado em 13 países europeus a partir de agosto, incluindo Portugal, contemplando a gama de modelos de passageiros da Opel. 

Atualmente, o OnStar tem mais de 7 milhões de assinantes nos Estados Unidos, Canadá, China e México.

O Onstar permite, entre outras funcionalidades, a ligação wi-fi 4G, assistência em caso de roubo e uma aplicação para telemóvel. 

João Falcão Neves, diretor-geral da Opel Portugal, disse à Lusa que "ter ligação internet de alta velocidade a bordo do automóvel é um sonho antigo que vamos tornar realidade", acrescentando que o sistema "oferece uma série de serviços únicos que representam um apoio efetivo e um precioso acompanhamento a todos os que utilizam automóvel". 

O responsável máximo da Opel no país adiantou ainda que o OnStar "vai estar disponível de série em quase toda a gama Opel de automóveis de passageiros, do citadino Karl ao topo de gama Insignia". 

Os carros da marca alemã vão ter, através do OnStar, ligação de alta velocidade sem fios à internet, aceitando até sete dispositivos móveis a funcionar ao mesmo tempo, dentro e à volta do veículo. 

Com a ferramenta Opel OnStar o centro de operações da marca é alertado automaticamente se, por exemplo, um airbag é despoletado. Um operador entra, então, em contacto com a viatura para determinar se a situação requer ajuda. Se não houver resposta, é acionado o programa de emergência e enviado socorro para o local exato onde se encontra a viatura.

Além do apoio em emergência, o Opel OnStar inclui ainda a assistência em viagem.

Este sistema permite ainda aceder a dados do veículo através de uma aplicação no telemóvel, como a vida útil do óleo ou a pressão de pneus, a possibilidade de trancar ou destrancar remotamente as portas, a localização 'on line' do automóvel ou a possibilidade de fazer soar a buzina e ligar as luzes.

Em caso de roubo, o sistema OnStar pode assistir o proprietário e as autoridades, nomeadamente através do bloqueio remoto da ignição ou enviando um sinal para o sistema de controlo eletrónico do automóvel, o qual impedirá que o motor arranque.

O anúncio da marca surge no momento em que a União Europeia aprovou a instalação de dispositivos automáticos de chamadas de emergência (eCall) nos veículos motorizados fabricados a partir de 2018.

A infraestrutura para o sistema eCall deverá estar operacional até 01 de outubro de 2017 e a sua utilização estará acessível a todos os consumidores e gratuita, segundo a decisão de Bruxelas.

A decisão do Conselho de Ministros da UE será confirmada, sem alterações, pelo Parlamento Europeu ainda antes do verão.

A Opel vai apresentar também no Salão de Genebra, que decorre de 5 a 15 de março, dois novos modelos: o citadino Karl e o topo da gama Corsa, o desportivo OPC.



Lusa
  • "Os governos são diferentes mas o povo é o mesmo"
    0:45

    Economia

    O Presidente da República atribui o resultado do défice do ano passado ao espírito de sacrifício do povo português. Num jantar em Coimbra para assinalar o Dia do Estudante, Marcelo Rebelo de Sousa considerou ainda que o valor do défice de 2016 é a prova de que com governos diferentes conseguem-se os mesmos objetivos.

  • Recuo na saúde é primeira derrota de peso para Donald Trump
    1:18

    Mundo

    O Presidente norte-americano sofreu esta sexta-feira uma derrota de peso. O líder da Câmara dos Representantes retirou a proposta do plano de saúde de Trump, que se preparava para um chumbo na câmara baixa do Congresso. Para já, mantém-se o Obamacare.

  • Pai do piloto da Germanwings defende inocência do filho

    Mundo

    O pai de Andreas Lubitz declarou esta sexta-feira que o filho não é o responsável pelo embate do avião da Germanwings contra um local montanhoso, que fez 150 mortos. O Ministério Público alemão concluiu em janeiro que o incidente em 2015 foi apenas da responsabilidade do piloto.