sicnot

Perfil

Mundo

Comité Nobel destituiu polémico presidente Thorbjoern Jagland

O Comité Nobel norueguês, que atribui o Nobel da Paz, destituiu hoje o seu contestado presidente Thorbjoern Jagland para o grau de simples membro, uma iniciativa sem precedente na história centenária do prémio, noticiaram as agências internacionais.

O Comité Nobel norueguês, que atribui o Nobel da Paz, demitiu Thorbjoern Jagland como Presidente.

O Comité Nobel norueguês, que atribui o Nobel da Paz, demitiu Thorbjoern Jagland como Presidente.

© Scanpix Scanpix / Reuters

Presidente desde 2009, num período marcado pelas polémicas escolhas do presidente norte-americano Barack Obama, do dissidente chinês Liu Xiaobo e da União Europeia, Jagland vai ser substituído pela ex-líder conservadora Kaci Kullman Five, até agora vice-presidente do Comité.

Nunca desde 1901, ano em que foi atribuído o primeiro Nobel da Paz, um presidente que pretendesse ser reconduzido, como manifestou Jagland, foi destituído.

Kullman Five recusou pronunciar-se sobre as razões que levaram à não-recondução de Jagland.

"Como é tradição, não vou fazer comentarários nem relatar o que foi dito durante a reunião" dos cinco membros do Comité, disse à imprensa.

A reunião, a primeira do ano, tinha por objetivo distribuir funções dentro do Comité e passar em revista as 276 candidaturas ao Nobel da Paz 2015.

"Há um amplo consenso no Comité de que Thobjoern Jagland foi um bom presidente durante seis anos", acrescentou.

Jagland, ex-primeiro-ministro trabalhista, recusou fazer declarações.

A mudança na presidência do Comité foi possibilitada pela mudança da maioria política no Comité, cujos membros são nomeados pelo parlamento da Noruega e, como tal, refletem o equilíbrio de forças na assembleia, dominada pela direita desde 2013.

No entanto, a mudança de relação de forças no parlamento não implica forçosamente a mudança da presidência do Comité. O historiador Francis Sejersted, candidato conservador que dirigiu o Comité entre 1991 e 1999, foi reeleito apesar de a esquerda ter a maioria.

Uma das escolhas polémicas do Comité Nobel foi a atribuição do prémio da Paz ao dissidente chinês Liu Xiaobo em 2010, que levou a China a congelar as relações políticas e comerciais com a Noruega.

Num artigo publicado há cerca de dois meses, o próprio Jagland escreveu que o governo norueguês da altura, de centro-esquerda, o "advertiu contra" a atribuição do prémio a Liu Xiaobo. "Não me pareceu problemático que o governo desse a sua opinião, o problema teria sido se o Comité aceitasse, sobretudo depois de sofrer pressão direta da China", afirmou.

Questionada, a nova presidente recusou qualquer ligação entre esse prémio e a destituição de Jagland. "Apoiei de todo o coração o prémio a Liu Xiaobo", afirmou.

Jagland foi também criticado por acumular o cargo de presidente do Comité Nobel com o de secretário-geral do Conselho da Europa, para o qual foi nomeado em 2009.

Além de Kullman Five e de Jagland, o Comité Nobel em funções é integrado por mais dois membros escolhidos pela direita, Henrik Syse e Inger-Marie Ytterhorn, e uma pelos trabalhistas, Berit Reiss-Andersen.


Lusa
  • Paulo Fonseca e Paulo Sousa fora da Liga Europa

    Liga Europa

    A segunda mão dos 16 avos-de-final da Liga Europa ficou marcada pelas eliminações de duas equipas treinadas por portugueses: a Fiorentina de Paulo Sousa e o Shakhtar Donetsk de Paulo Fonseca. Paulo Bento, no Olympiacos, e José Mourinho, no Manchester United, são os únicos técnicos lusos ainda em competição. Noutros jogos, destaque para os afastamentos do Tottenham e do Zenit. Veja aqui os resumos de todos os encontros desta noite europeia. O sorteio dos oitavos-de-final está agendado para esta sexta-feira, às 12h00, hora de Lisboa.

  • "Não preciso de ajustar contas com ninguém"
    0:49

    País

    O ex-Presidente da República insiste que José Sócrates foi desleal durante as negociações do Orçamento do Estado para 2011. Numa entrevista dada à RTP1, Cavaco Silva esclareceu ainda que não escreveu o livro de memórias para ajustar contas com o ex-primeiro-ministro.

  • Sócrates em processo judicial surpreende Cavaco
    0:18

    País

    Cavaco Silva afirmou ter ficado surpreendido com o envolvimento de José Sócrates num processo judicial. Em entrevista à RTP1 o ex-Presidente da República diz que nunca se apercebeu de qualquer "atuação legalmente menos correta" da parte de Sócrates.

  • PSD questiona funcionamento da Assembleia da República
    2:39

    Caso CGD

    O PSD e o CDS vão entregar esta sexta-feira no Parlamento o pedido para criar uma nova Comissão de Inquérito sobre a Caixa Geral de Depósitos. Os dois partidos reuniram-se esta quarta-feira para fechar o texto do requerimento. Durante o dia, o PSD considerou que o normal funcionamento da Assembleia da República está em causa, o que levou Ferro Rodrigues a defender-se e a garantir que está a ser imparcial.

  • Marcelo rejeita discussões menores na banca
    0:32

    Economia

    O Presidente da República avisa que não se devem introduzir querelas táticas e menores no sistema financeiro. Num encontro que reuniu publicamente Marcelo e Centeno, o Presidente diz que é preciso defender o interesse nacional.

  • Três dos planetas encontrados podem conter água e vida
    3:28
  • Túnel descoberto em cadeia brasileira tinha ligação a uma habitação
    0:44

    Mundo

    A polícia brasileira descobriu um túnel que ligava a cadeia de Porto Alegre a uma casa e serviria para libertar prisioneiros do estabelecimento. As autoridades detiveram sete homens e uma mulher no local. A construção permitiria uma fuga massiva que poderia chegar aos 200 mil fugitivos e estima-se que terá custado mais de 300 mil euros. A polícia do Rio Grande do Sul acredita, assim, ter impedido aquela que seria a maior fuga de prisioneiros de sempre no Estado brasileiro.

  • Secretário da Segurança Interna dos EUA desmente Donald Trump

    Mundo

    O Presidente norte-americano, Donald Trump, afirmou esta quinta-feira que os esforços do seu Governo para expulsar alguns imigrantes ilegais dos Estados Unidos "são uma operação militar", afirmação contrariada pelo seu secretário da Segurança Nacional no México.