sicnot

Perfil

Mundo

Escritor Haruki Murakami diz que protestos em Hong Kong "não foram em vão"

O romancista japonês Haruki Murakami lamenta que as manifestações de estudantes em Hong Kong tenham parado, mas acredita que os movimentos pró-democracia do ano passado não foram em vão.

© Petr Josek / Reuters

Murakami manifestou a sua opinião através de uma página dedicada às perguntas dos leitores. Questionado por uma jovem de 22 anos que participou nos protestos entre setembro e dezembro de 2014, o escritor respondeu: "Lamento que muitas das coisas não se tenham passado como esperávamos. Mas aquilo que vocês fizeram pela democratização não foi em vão. Continua a ser um facto e ninguém o pode ignorar".

O escritor deixou ainda palavras de encorajamento à sua interlocutora, incentivando-a a "mudar o mundo, mesmo que seja só um pouco". "Têm o meu apoio", terminou.

Já em novembro, Murakami tinha deixado uma mensagem de apoio aos manifestantes de Hong Kong, comparando a sua luta com aquela que fez cair o muro de Berlim há 25 anos.

  • Passos Coelho pede desculpa aos portugueses
    3:35
  • População afetada pelo fogo tenta repor o que as chamas destruíram
    1:54
  • "Juntos por Todos" hoje no palco em Lisboa
  • Autarca garante que não houve "touros de fogo"

    País

    O presidente da Câmara de Benavente disse esta segunda-feira à Lusa que a atividade "touros de fogo" foi retirada do programa da Festa da Amizade depois de recebido um parecer desfavorável da Direção-Geral de Veterinária.

  • Esforço dos contribuintes para salvar bancos deve ser minimizado, diz Draghi
    1:49