sicnot

Perfil

Mundo

Europa melhorou na água e ar, maiores desafios são na biodiversidade e clima

A Europa conseguiu melhorias no ambiente, na qualidade da água e do ar ou na redução dos resíduos, mas enfrenta desafios que exigem mudanças profundas, principalmente nas áreas da conservação da biodiversidade e das alterações climáticas.

© Luke MacGregor / Reuters

O relatório "O Ambiente na Europa -- Estado e Perspetivas 2015", elaborado pela Agência Europeia do Ambiente (EEA na sigla em inglês) a cada cinco anos e hoje divulgado, refere que "os europeus têm atualmente ar e água mais limpos, menos resíduos são depositados em aterro, e mais recursos são reciclados".

No entanto, considera que "a Europa ainda está muito longe do objetivo de 'viver bem dentro dos limites do planeta' em 2050", como ficou estipulado no 7.º Programa de Ação para o Ambiente.

"Apesar de utilizarmos os recursos naturais com mais eficiência que antes, ainda estamos a degradar os recursos essenciais", tanto na Europa como no resto do mundo, e na área ambiental não existem fronteiras, salienta o documento.

A perda de biodiversidade e as alterações climáticas "continuam a ser as mais importantes ameaças", para os próximos 20 anos, a que se juntam a degradação da qualidade dos solos e as emissões de gases com efeito de estufa, aspeto relacionado com o consumo de energia, a utilização de combustíveis fósseis e a continuação do aumento da utilização dos transportes.

Os riscos ambientais para o bem estar físico são realçados pela EEA, ao apontar que "não se espera que as melhorias previstas na qualidade do ar, por exemplo, sejam suficientes para impedir danos continuados na saúde e ambiente", ao mesmo tempo que "se espera que os impactes sobre a saúde resultantes das alterações climáticas venham a piorar".

As ações mais prementes para atingir as metas da União Europeia (UE) para 2050 passam por proteger o capital natural, base do desenvolvimento económico e bem-estar humano, estimular a eficiência no uso de recursos e a economia de baixo carbono e proteger as pessoas dos riscos de saúde relacionados com o ambiente. 

Para o diretor da EEA, Hans Bruyninckx, chegar àqueles objetivos exige "abordagens sistémicas", ou seja, as medidas devem encarar a sociedade e o ambiente como um todo, de uma forma integrada.

Hans Bruyninckx falava a jornalistas, em Copenhaga, na apresentação do relatório que reúne informação sobre a situação do ambiente nos vários países europeus e aponta perspetivas até 2050.

Relativamente às alterações climáticas, "se nada mudar, estamos menos otimistas", afirmou.

O responsável da EEA defende serem necessárias ""mudanças profundas" nas práticas, instituições, tecnologias, políticas, estilos de vida e comportamentos, encontrando "formas de melhorar a eficiência do consumo de energia, por exemplo, de modo a assegurar a resiliência dos sistemas naturais e sociais". 

"Se queremos ter boas soluções [de sobrevivência] baseadas na natureza, temos de ter uma natureza forte e em bom estado", afirmou.

O documento refere que os desafios futuros requerem políticas mais ambiciosas, melhor conhecimento e investimentos nas áreas da alimentação, energia, habitação, transportes, saúde e educação, de modo a torná-las mais sustentáveis, reduzindo as emissões de carbono.

O diretor da EEA sublinha ainda as tarefas para evitar a insustentabilidade dos sistemas de produção e consumo, uma pegada ecológica que excede a capacidade do planeta e os impactes de longo prazo, "muitas vezes complexos e cumulativos, sobre os ecossistemas e a saúde".

Lusa
  • Os confrontos de Rui Rio
    3:38

    País

    Esta não é a primeira vez que Rui Rio enfrenta adversidades. O mesmo aconteceu durante a presidência da Câmara do Porto, quando assumiu uma rutura total com o Futebol Clube do Porto. Na primeira conferência de imprensa como presidente do PSD, avisou os adversários internos de que o clima de confronto é um ambiente do qual gosta.

  • Governo aceita diálogo com PSD após eleição de Rio
    1:52

    País

    Com a eleição de Rui Rio, o Governo aceitou entender-se com o PSD, provocando algumas críticas por parte do PCP e o Bloco de Esquerda. O líder parlamentar socialista diz que admitir o diálogo é Democracia, mas garante que o que sempre dividiu o PS do PSD mantém-se.

  • Sporting nos oitavos de final da Liga Europa

    Liga Europa

    O Sporting garantiu esta quinta-feira o apuramento para os oitavos de final da Liga Europa, ao empatar frente ao Astana, em Alvalade, a três golos, na segunda mão dos 16 avos de final, depois de ter triunfado no Cazaquistão por 3-1. Veja ou reveja todos os golos do encontro.

  • Jane Seymour posa para a Playboy aos 67 anos

    Cultura

    Esta é a terceira vez que a atriz inglesa de 67 anos participa numa sessão fotográfica para a revista Playboy. Jane Seymour aproveitou a oportunidade para se juntar ao movimento #MeToo e falar sobre as agressões sexuais que sofreu às mãos de um produtor, em 1972.

  • O estranho caso do mergulhador Alejandro Ramos

    Mundo

    O mergulhador Alejandro Ramos tornou-se num caso de investigação do Centro Médico Naval do Peru, depois do seu corpo ter começado a inchar sem qualquer explicação aparente. Isto aconteceu há quatro anos, minutos depois de ter emergido da água, onde tinha estado a trabalhar durante muitas horas.

    SIC

  • Vírus do Zika pode proteger contra a dengue

    Mundo

    Uma equipa de investigadores brasileiros acredita que a infeção do vírus Zika pode tornar a pessoa imune contra a dengue. Anteriormente, uma investigação chinesa já tinha conseguido provar o inverso: quem apanha dengue pode estar mais protegido contra o vírus do Zika.

    SIC

  • Pesca explora mais de metade de todos os oceanos

    Economia

    A pesca industrial explora mais de metade de todos os oceanos, uma área quatro vezes maior que a utilizada pela agricultura, havendo mais atividade no norte do Atlântico e do Pacífico, conclui um estudo divulgado esta quinta-feira.