sicnot

Perfil

Mundo

Europa melhorou na água e ar, maiores desafios são na biodiversidade e clima

A Europa conseguiu melhorias no ambiente, na qualidade da água e do ar ou na redução dos resíduos, mas enfrenta desafios que exigem mudanças profundas, principalmente nas áreas da conservação da biodiversidade e das alterações climáticas.

© Luke MacGregor / Reuters

O relatório "O Ambiente na Europa -- Estado e Perspetivas 2015", elaborado pela Agência Europeia do Ambiente (EEA na sigla em inglês) a cada cinco anos e hoje divulgado, refere que "os europeus têm atualmente ar e água mais limpos, menos resíduos são depositados em aterro, e mais recursos são reciclados".

No entanto, considera que "a Europa ainda está muito longe do objetivo de 'viver bem dentro dos limites do planeta' em 2050", como ficou estipulado no 7.º Programa de Ação para o Ambiente.

"Apesar de utilizarmos os recursos naturais com mais eficiência que antes, ainda estamos a degradar os recursos essenciais", tanto na Europa como no resto do mundo, e na área ambiental não existem fronteiras, salienta o documento.

A perda de biodiversidade e as alterações climáticas "continuam a ser as mais importantes ameaças", para os próximos 20 anos, a que se juntam a degradação da qualidade dos solos e as emissões de gases com efeito de estufa, aspeto relacionado com o consumo de energia, a utilização de combustíveis fósseis e a continuação do aumento da utilização dos transportes.

Os riscos ambientais para o bem estar físico são realçados pela EEA, ao apontar que "não se espera que as melhorias previstas na qualidade do ar, por exemplo, sejam suficientes para impedir danos continuados na saúde e ambiente", ao mesmo tempo que "se espera que os impactes sobre a saúde resultantes das alterações climáticas venham a piorar".

As ações mais prementes para atingir as metas da União Europeia (UE) para 2050 passam por proteger o capital natural, base do desenvolvimento económico e bem-estar humano, estimular a eficiência no uso de recursos e a economia de baixo carbono e proteger as pessoas dos riscos de saúde relacionados com o ambiente. 

Para o diretor da EEA, Hans Bruyninckx, chegar àqueles objetivos exige "abordagens sistémicas", ou seja, as medidas devem encarar a sociedade e o ambiente como um todo, de uma forma integrada.

Hans Bruyninckx falava a jornalistas, em Copenhaga, na apresentação do relatório que reúne informação sobre a situação do ambiente nos vários países europeus e aponta perspetivas até 2050.

Relativamente às alterações climáticas, "se nada mudar, estamos menos otimistas", afirmou.

O responsável da EEA defende serem necessárias ""mudanças profundas" nas práticas, instituições, tecnologias, políticas, estilos de vida e comportamentos, encontrando "formas de melhorar a eficiência do consumo de energia, por exemplo, de modo a assegurar a resiliência dos sistemas naturais e sociais". 

"Se queremos ter boas soluções [de sobrevivência] baseadas na natureza, temos de ter uma natureza forte e em bom estado", afirmou.

O documento refere que os desafios futuros requerem políticas mais ambiciosas, melhor conhecimento e investimentos nas áreas da alimentação, energia, habitação, transportes, saúde e educação, de modo a torná-las mais sustentáveis, reduzindo as emissões de carbono.

O diretor da EEA sublinha ainda as tarefas para evitar a insustentabilidade dos sistemas de produção e consumo, uma pegada ecológica que excede a capacidade do planeta e os impactes de longo prazo, "muitas vezes complexos e cumulativos, sobre os ecossistemas e a saúde".

Lusa
  • Rússia vence Egito e fica muito perto dos oitavos

    Mundial 2018 / Rússia

    A anfitriã Rússia venceu esta terça-feira o Egito por 3-1, em jogo da 2.ª jornada do grupo A. A seleção russa ficou assim muito perto de garantir o apuramento para os oitavos de final e deixou o Egito quase fora da fase seguinte.

  • O abraço de Marcelo à mascote do Mundial
    0:12
  • Português que saiu de bicicleta de Alenquer já chegou à Rússia
    2:26
  • Senegal surpreende e vence a Polónia por 2-1

    Mundial 2018 / Polónia

    O Senegal venceu hoje a Polónia por 2-1 num jogo a contar para o grupo H do Mundial da Rússia. Na primeira parte, os "leões de Teranga" beneficiaram de um golo na própria baliza marcado por Thiago Cionek aos 37 minutos. A vantagem no marcador veio trazer estabilidade ao Senegal que conseguiu firmar a superioridade com um golo de M´Baye Niang aos 60 minutos. Perto do final do jogo, o polaco Grzeg Krychowiak marcou na baliza de Khadim N'Diaye, mas foi insuficiente para derrotar o Senegal.

  • Japão ganha nova esperança ao derrotar a Colômbia (2-1)

    Mundial 2018 / Colômbia

    No primeiro jogo do grupo H, a Colômbia foi derrotada pelo Japão. Um dos momentos altos do jogo aconteceu logo ao minuto 4 quando, na sequência de uma falta de Carlos Sanchez, o árbitro assinalou um penálti a favor da equipa japonesa. O colombiano levou um cartão vermelho, depois de ter intercetado um remate do Japão com a mão. Apesar da desvantagem numérica, a Colômbia iguala o marcador aos 39 minutos com um livre de Quintero. Contudo, Yuya Osako colocou o Japão novamente em vantagem aos 73 min.

  • Achilles, o gato que adivinha os resultados do Mundial
    0:44

    Desporto

    Depois do polvo Paul no Mundial de 2010 e do elefante Zella no Europeu de 2016, este ano, o gato Achilles é o adivinho dos jogos do Mundial na Rússia. O felino acertou na vitória da Rússia frente à Arábia Saudita e já fez a aposta para a partida entre os russos e o Egipto, que decorre esta terça-feira, a partir das 19:00.

  • Hospitais públicos à beira da rutura
    2:28
  • Repitam comigo: Portugal vai ser campeão do Mundo
    4:56
  • OMS inclui dependência dos videojogos na lista de doenças mentais

    Mundo

    A Organização Mundial de Saúde (OMS) incluiu a dependência de videojogos na lista de doenças mentais, uma possibilidade que tinha sido prevista no início do ano e que foi anunciada esta segunda-feira. Este pode ser mais um argumento para os pais limitarem o tempo de acesso dos filhos às consolas, computadores e todos os dispositivos com videojogos.

    SIC

  • "Estou a ser posta porta fora (...) faço o que vocês me disserem"
    2:43
  • Morreu o orangotango mais velho do mundo

    Mundo

    O orangotango mais velho do mundo morreu aos 62 anos no jardim zoológico de Perth, no norte da Austrália, deixando 54 descendentes, anunciou esta terça-feira a instituição.

  • Milionários aumentam... e as suas fortunas também

    Mundo

    O número de milionários mundiais cresceu em 2017 e o seu nível de riqueza aumentou pelo sexto ano consecutivo, ultrapassando pela primeira vez os 70 biliões de dólares (60,5 biliões de euros), segundo um estudo divulgado esta terça-feira.