sicnot

Perfil

Mundo

Emwazi diz que não há provas que o seu filho seja o "jihadista John"

O pai do "jihadista John" defende que não há provas que o seu filho seja o autor das decapitações do Estado Islâmico e afirma que há vários "falsos rumores" a circular, em declarações à imprensa local hoje publicadas.

"Não há nada que prove o que circula nos meios de comunicação, especialmente através de vídeos e montagens, que o acusado é o meu filho Mohammed, que está a ser referido como o alegado carrasco do Daesh [Estado Islâmico]", disse Jassem Emwazi ao jornal do Kuwait, Al-Qabas.


Segundo o diário, a entrevista - a primeira desde que surgiram as acusações contra o seu filho - decorreu numa localização secreta.


"Tenho uma mensagem para as pessoas do Kuwait: muitos dos rumores são falsos. Parece que algumas pessoas acreditaram, por isso contratei um advogado para me defender e provar que o que está a ser dito não é verdade", disse.


Anteriormente foi noticiado que Jassem Emwazi e a sua mulher disseram ter reconhecido a voz do filho.


Mohammed Emwazi, o alegado autor de, pelo menos, cinco decapitações, nasceu no Kuwait numa família de origens iraquianas. Os seus pais mudaram-se para o Reino Unido em 1993.


Desde que deixou o Reino Unido, o chamado "jihadista John" visitou o Kuwait várias vezes, a última vez em 2010.


Chegou a 18 de janeiro de 2010, via Emirados Árabes, tendo pedido para o efeito um visto usando o seu passaporte britânico, e permaneceu no país até 26 de abril, escreveu anteriormente o Al-Qabas.


Mas em 2014, foi proibido de entrar no Kuwait, depois do seu nome ter sido ligado a um ataque terrorista no Reino Unido, segundo o mesmo diário.


Lusa

  • Michelle Obama partilhou momento de despedida da Casa Branca
    1:43
  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.

  • Trabalhadores da saúde iniciam greve nacional

    País

    Trabalhadores da saúde estão esta sexta-feira a cumprir uma greve a nível nacional para reivindicar a admissão de novos profissionais, exigir a criação de carreiras e a aplicação das 35 horas semanais a todos os funcionários do setor.

  • Portugal a tremer de frio
    3:07

    País

    Portugal continua a registar temperaturas negativas, sobretudo no Norte do país. Em Trás-os-Montes, por exemplo, marcaram mínimas de 11 graus abaixo de zero e os termómetros desceram tanto que congelaram rios, canalizações de água e até aquecimentos de escolas. Mas nem tudo é mau pois os produtores falam em boa época para curar fumeiro.

  • Juiz brasileiro morto em acidente aéreo investigava corrupção na Petrobras
    1:28
  • Zoo da Indonésia acusado de querer matar ursos à fome

    Mundo

    Um grupo de ativistas da Indonésia acusa o Jardim Zoológico de Bandung de estar a matar à fome os seus animais, incluindo os ursos-do-sol, para ser fechado. Um vídeo recentemente publicado mostra os ursos, que aparecem muito magros e a implorar por comida.

  • Podem as plantas ver, ouvir e até reagir?

    Mundo

    Um professor de Ciências Vegetais da Universidade de Missouri, nos Estados Unidos, passou quatro décadas a investigar as relações entre vegetais e insetos. Na visão de Jack Schultz, as plantas são "como animais muito lentos", que conseguem ver, ouvir, cheirar e até têm comportamentos próprios.