sicnot

Perfil

Mundo

Milicianos xiitas dispersam milhares de manifestantes na capital do Iémen

Os milicianos xiitas huties que controlam a capital do Iémen dispersaram hoje violentamente milhares de manifestantes que saíram à rua em apoio do Presidente Abd Rabbo Mansour Hadi, refugiado em Aden (sul), indicaram os organizadores.

© Stringer . / Reuters

O protesto decorreu no centro de Sanaa, com a palavra de ordem central "Huties, rua" ecoada pelos manifestantes, e antes de os milicianos xiitas terem disparado para o ar e depois atacado os participantes com bastões e facas, provocando pelo menos dois feridos e 15 detidos levados para "destino desconhecido", segundo os opositores.  

"Sim à autoridade legítima" de Hadi, "Não ao golpe de Estado", foram outras frases gritadas pelos manifestantes, convocados por grupos da juventude do Movimento da recusa, recentemente formado para contestar o poder dos huties. 

No verão de 2014, os huties deixaram o seu bastião de Saada (norte do Iémen) para iniciar uma marcha em direção a Sanaa, onde entraram em setembro. No final de janeiro reforçaram a sua presença na capital ao apoderarem-se do palácio presidencial e forçando a demissão de Hadi e do seu primeiro-ministro. De seguida, nomearam um "conselho presidencial". 

Considerado pela comunidade internacional "Presidente legítimo do Iémen", Hadi conseguiu escapar para Aden em fevereiro, onde renunciou à sua demissão e passou a contestar a autoridade dos huties. 

O enviado da ONU para o Iémen, Jamal Benomar, deslocou-se hoje de novo a Aden, onde se reuniu com Hadi, no âmbito dos esforços diplomáticos para convencer as partes iemenitas a retomarem o diálogo. 


Lusa
  • BE acusa direita de bloquear atual comissão à CGD
    1:37

    Caso CGD

    O Bloco de Esquerda acusa a oposição de estar a fazer tudo para impedir as conclusões da comissão de inquérito sobre a Caixa Geral de Depósitos que está em curso. Numa altura em que PSD e CDS já entregaram o requerimento para avançar com uma segunda comissão, Catarina Martins defende que ainda há muita coisa por apurar sobre o processo de recapitalização do banco público.

  • Visita de Costa a Angola pode estar em risco
    2:26

    País

    A visita de António Costa a Luanda poderá estar em risco devido à acusação da justiça portuguesa contra o vice-Presidente de Angola. O jornal Expresso avança que o comunicado com a reação dura do Governo angolano é apenas o primeiro passo e que pode até estar a ser preparado um conjunto de medidas contra Portugal. Para já, o primeiro-ministro português desvaloriza a ameaça e mantém a visita marcada para a primavera.