sicnot

Perfil

Mundo

Navio da II Guerra Mundial descoberto ao largo das Filipinas

Um dos maiores navios afundados na II Guerra Mundial foi encontrado a 1000 metros de profundidade, ao largo das Filipinas. O responsável pelo achado foi um dos fundadores da Microsoft, o multimilionário norte-americano Paul Allen, um entustiasta da pesquisa científica, que há oito anos partiu à procura deste navio de guerra japonês.

Esta quarta-feira, no Twitter, Allen publicou o registo captado pela equipa que usou meios tecnológicos e inclusive um robot de bordo para localizar os destroços da embarcação, afundada há mais de quatro décadas.

Esta quarta-feira, no Twitter, Allen publicou o registo captado pela equipa que usou meios tecnológicos e inclusive um robot de bordo para localizar os destroços da embarcação, afundada há mais de quatro décadas.

Twitter

Esta quarta-feira, no Twitter, Allen publicou o registo captado pela equipa que usou meios tecnológicos e inclusive um robot de bordo para localizar os destroços da embarcação, afundada há mais de quatro décadas.

Foi em outubro de 1944 que, numa das batalhas navais no Pacífico, o Musashi foi afundado pelos americanos. Era então o orgulho da armada japonesa, com mais de 270 metros e equipado com o melhor arsenal à época.
 
No naufrágio, morreram mais de 1000 pessoas.
  • Souto de Moura feliz com distinção na Bienal de Arquitetura de Veneza
    1:10
  • Há mesmo um carro voador pousado no meio de Paris

    Dito assim, exageramos a importância da coisa, porque de facto estamos a falar de um protótipo que, inteiro, nunca voou. Dito assim, diminui a importância de termos ali mesmo à nossa frente um seríssimo protótipo de carro voador feito em colaboração pela Italdesign e pela Airbus a grande companhia construtora de aviões na Europa, desde o ano passado também com a colaboração da Audi. Faltava aqui um grande construtor de automóveis capaz de acrescentar o seu conhecimento.

    Lourenço Medeiros