sicnot

Perfil

Mundo

Pelo menos 34 mortos em ataque contra quartel dos serviços de informações em Alepo, na Síria

Pelo menos 20 membros das forças governamentais sírias e 14 rebeldes foram hoje mortos num ataque contra um quartel-general dos serviços de informações da Força aérea na cidade de Alepo (norte), informou o Observatório sírio dos direitos humanos (OSDH). 

© Hosam Katan / Reuters

Segundo a ONG, os rebeldes detonaram uma poderosa carga explosiva subterrânea sob um edifício onde estavam instalados gabinetes dos serviços de informações da Força aérea síria. De seguida, registaram-se combates entre as forças do regime e rebeldes, que não conseguiram tomar o controlo do complexo. 

A Frente Al-Nusra, um ramo da Al-Qaida na Síria, disse na rede social Twitter que as suas forças, com outras fações rebeldes, "atacaram os gabinetes dos serviços de informações militares e edifícios vizinhos". 

Uma fonte militar síria garantiu que unidades leais ao regime do Presidente Bashar al-Assad comprometeram a "tentativa de um grupo terrorista em infiltrar-se no edifício dos serviços de informações militares em Apelo, e mataram ou feriram vários atacantes". 

Ainda em Alepo, pelo menos seis civis foram mortos e 30 ficaram feridos após o disparo de projéteis pelos rebeldes sobre áreas controladas pelas autoridades nos bairros de Yalediya e Salahedin, acrescentou o Observatório. 

Os rebeldes desencadearam uma ofensiva em finais de julho de 2012 em Alepo e passaram a controlar uma ampla área da cidade, mas sem conseguirem controlar toda a localidade. 

Segundo a ONU, o conflito na Síria, iniciado em março de 2011, já provocou mais de 200.000 mortos e nove milhões de civis foram forçados a abandonar as suas casas, com cerca de três milhões de refugiados em países vizinhos. 



Lusa
  • Família perde tudo na aldeia de Queirã
    2:32
  • Temperaturas sobem no fim de semana, risco de incêndio aumenta
    1:08

    País

    A chuva que caiu nos últimos dias não deverá ter impactos relevantes na dominuição da seca e, por isso, o risco de incêndios vai voltar a aumentar com nova subida das temperaturas. Os termómetros podem chegar aos 30 graus entre domingo e quarta-feira.

  • Não me parece o melhor princípio político, mas percebo que António Costa queira ter junto de si, sobretudo em tempos difíceis, os mais próximos. Os homens de confiança pessoal e política. Em plena tempestade, o primeiro-ministro chamou dois amigos de longa data, ex-colegas da Faculdade de Direito, Eduardo Cabrita e Pedro Siza Vieira. E eles não disseram que não.

    Bernardo Ferrão