sicnot

Perfil

Mundo

Presidente do Chade promete "erradicar o Boko Haram" e eliminar o seu chefe

O Presidente chadiano, Idriss Deby, prometeu hoje "erradicar" o grupo islamita armado nigeriano Boko Haram e eliminar o seu chefe, Abubakar Shekau, caso este não se renda, e cuja localização disse saber.  

© Thomas Mukoya / Reuters

Abubakar Shekau "tem todo o interesse em render-se, sabemos onde está. Se recusar render-se vai conhecer a mesma sorte que os seus camaradas conheceram", declarou o chefe de Estado chadiano durante uma conferência de imprensa conjunta com o seu homólogo do Níger, Mahamadu Issufou, de visita a N'Djamena. 

O chefe do grupo islamita, prosseguiu, "fugiu de Dikwa [Nigéria] após os últimos combates" entre o exército chadiano e os insurgentes.  

Em 17 de fevereiro, os soldados chadianos expulsaram o Boko Haram de Dikwa, na estrada entre Gambru, perto da fronteira com os Camarões, e a cidade estratégica de Maiduguri, capital do estado de Borno, no nordeste da Nigéria, situada a 90 quilómetros. 

Segundo o estado-maior do exército chadiano, dois soldados e 117 islamitas foram mortos na ocasião durante violentos combates, com o exército de N'Djamena, até então estacionado nos Camarões, a penetrar pela primeira vez em profundidade em território nigeriano.  

"Ao contrário do que pensam alguns 'media' vamos vencer a guerra e vamos erradicar o Boko Haram. As forças chadianas e nigerianas vão continuar a sua missão para por termo em definitivo a esta nebulosa", acrescentou Idriss Deby. 

A insurreição islamita e a sua repressão pelas forças governamentais nigerianas já provocaram desde 2009 mais de 13.000 mortos no nordeste da Nigéria. 










Lusa
  • "Quem não deve não teme"

    Football Leaks

    O futebolista português Cristiano Ronaldo, questionado sobre a sua alegada fuga ao fisco veiculada pela investigação "Football Leaks", disse que "quem não deve não teme", numa reação difundida esta quinta-feira pela rádio espanhola Onda Cero.

  • Hospitais já registam picos de afluência apesar de casos de gripe serem ainda poucos
    2:13

    País

    A gripe ainda não chegou em força, mas nos últimos dias foram vários os hospitais com grande afluências de doentes, sobretudo idosos e com infeções respiratórias. Em alguns dias desta semana o número de doentes disparou para mais de 600, como disse à SIC o presidente do Conselho de Administração do Centro Hospitalar Universitário de Coimbra.

  • Cerca de 150 civis doentes retirados de Alepo

    Mundo

    Cerca de 150 civis, a maioria doentes ou deficientes, foram retirados na noite de quarta-feira para quinta-feira de um centro de saúde de Aleppo, na parte mais antiga da cidade tomada pelo exército sírio, anunciou a Cruz Vermelha internacional.