sicnot

Perfil

Mundo

Boko Haram executa moradores em cidade no nordeste da Nigéria

O grupo extremista Boko Haram está a concentrar combatentes em Gwoza, no nordeste da Nigéria, e executou os moradores da cidade que não conseguiram fugir, disseram hoje testemunhas citadas pela agência de notícias francesa AFP. 

© Stringer . / Reuters

Uma moradora que fugiu de Gwoza na terça-feira disse hoje que os rebeldes do Boko Haram cercaram os homens mais velhos que estavam a estudar o Corão na porta da casa de um clérigo local.

Os homens foram executados em frente às suas esposas, segundo a testemunha, que está em Yola, capital do estado de Adamawa.

Alguns detalhes do relato desta testemunha foram confirmados por um senador da região, Ali Ndume, referindo ainda que há uma grande concentração de homens do grupo rebelde em Gwoza. 

"Os membros do Boko Haram têm, nos últimos dias, convergido para Gwoza, onde mataram vários homens da localidade e perseguiram as mulheres e as crianças já fora da cidade", disse Ndume.

O grupo terrorista, liderado por Abubacar Shekau, proclamou em agosto um califado islâmico em Gwoza, cidade que foi tomada em junho e que fica no estado nigeriano de Borno.

A Nigéria, os Camarões, o Chade e o Níger lançaram em fevereiro uma ofensiva conjunta sem precedentes contra os rebeldes, recuperando cidades e aldeias que estavam sob controlo do Boko Haram.

Ndume especulou que os extremistas estariam a preparar-se para defender a cidade símbolo para o grupo, na perspetiva do avanço dos militares, nomeadamente de tropas chadianas que operam na área com a permissão da Nigéria. 

A Nigéria está sob intensa pressão para mostrar progressos no combate ao Boko Haram antes de 28 de março, quando se realizam as eleições, previstas para fevereiro mas que foram adiadas por seis semanas para permitir aos militares pacificarem o nordeste do país.



Lusa
  • Frio no fim de semana, regiões do interior podem chegar aos -5 °C
    1:23

    País

    A Proteção Civil emitiu um alerta para o tempo frio e seco e pede cuidados redobrados. As temperaturas já começaram a descer, com regiões a registarem valores negativos. No interior, podem chegar aos 5 graus negativos. Até ao Natal o tempo vai manter-se frio, seco e com ausência de chuva.

  • Bombeiro ferido nos fogos de Pedrógão Grande regressou a casa
    2:33

    Tragédia em Pedrógão Grande

    Seis meses depois dos incêndios de Pedrógão Grande, regressou a casa o último dos bombeiros de Castanheira de Pera que estava internado desde junho. Rui Rosinha esteve em coma mais de dois meses e tem ainda pela frente uma longa recuperação. O bombeiro não quer que o país esqueça o que aconteceu e espera que as duas tragédias deste ano (fogos de junho e outubro) sirvam de lição para o futuro.

  • Pedrógão Grande, seis meses depois - documentário Expresso
    0:29
  • Fitch retira Portugal do "lixo"
    2:20
  • PS volta a subir nas intenções de voto e não baixa dos 40%
    2:01
  • Marcelo evita "ideia de que o ano foi todo muito bom"
    3:14

    País

    Marcelo Rebelo de Sousa disse esta sexta-feira que 2017 teve "o melhor e o pior" e que "é preciso evitar a "ideia que o ano foi todo muito bom". O Presidente da República fez estas declarações depois de António Costa ter dito que a nível económico este "foi um ano particularmente saboroso".