sicnot

Perfil

Mundo

Polícia moçambicana impede marcha de estudantes na Beira contra assassínio de Cistac

A Polícia antimotim de Moçambique impediu hoje uma marcha de estudantes de Direito de duas universidades privadas na Beira, segunda maior cidade do país, que protestavam contra o assassínio do constitucionalista Gilles Cistac. 

© Grant Neuenburg / Reuters

Pedro Sousa, diretor da Faculdade de Direito da Universidade Alberto Chipande, disse à Lusa que a Força de Intervenção Rápida (FIR) e o Grupo Operativo Especial (GOE) impediram a marcha, com o argumento de que não estavam garantidas as condições de segurança, e que alguns estudantes foram atingidos com coronhadas como forma de intimidação. 

"A Polícia impediu a concentração e o arranque da marcha legal dos estudantes de Direito que estava agendada para hoje na cidade da Beira, alegadamente porque a cidade ainda está agitada com o baleamento de um empresário", precisou Pedro Sousa, referindo-se a um roubo violento ocorrido na cidade na quarta-feira. 

A marcha, disse Pedro Sousa, tinha o aval do Conselho Municipal e das reitorias das Universidades. 

Apesar disso, prosseguiu, a polícia travou a marcha e só a intervenção de Gilberto Correia, antigo bastonário da Ordem dos Advogados de Moçambique, impediu que alguns estudantes fossem detidos. 

Vestidos com t-shirts brancas e empunhando cartazes com mensagens de homenagem a Gilles Cistac, os alunos das faculdades de Direito das Universidades Católica de Moçambique e Alberto Chipande, ambas na Beira, não conseguiram iniciar a marcha, uma vez que a polícia barrou a estrada com blindados e posicionou-se em pontos estratégicos do percurso. 

Ainda segundo o diretor da Faculdade de Direito, a marcha foi remarcada para sábado, para acompanhar o movimento nacional, que tem outras manifestações similares previstas para Maputo e Nampula.

"Não nos sentimos intimidados por pensar diferente daqueles que nos querem a pensar igual", "não podemos calar o assassinato do nosso herói" e "liberdade de expressão para todos", eram algumas das mensagens ostentadas pelos estudantes.

O constitucionalista moçambicano de origem francesa Gilles Cistac foi morto a tiro na terça-feira de manhã por desconhecidos à saída de um café no centro de Maputo.

O constitucionalista, conhecido por defender argumentos jurídicos desfavoráveis à Frelimo (Frente de Libertação de Moçambique, no poder há 40 anos) foi transportado ainda com vida para o Hospital Central de Maputo, onde acabou por morrer por volta das 13:00, menos duas horas de Lisboa.

A Lusa tentou em vão contactar a Polícia da Beira.


Lusa
  • Sismo abala centro de Itália

    Mundo

    A capital da Itália foi esta manhã sacudida por três sismos em apenas uma hora, de entre 5,3 e 5,7 na escala de Richter, não havendo até ao momento registo de vítimas.

  • Oposição diz que défice abaixo dos 2,3% se deve ao aumento de impostos
    2:24

    Economia

    O défice de 2016 vai ficar abaixo dos 2,3%, uma garantia dada pelo primeiro-ministro durante o debate quinzenal desta terça-feira. A oposição diz que o resultado é bom para o país mas que se deve a um aumento de impostos, feito pelo Governo no ano passado, e ao trabalho do PSD e do CDS nos anos anteriores.

  • Bebé nasce na Ucrânia com ADN de três pais

    Mundo

    Nasceu a 5 de janeiro, na Ucrânia, uma menina filha de um casal infértil graças à ajuda de uma nova técnica de fertilização in vitro, que conta com a colaboração de uma terceira pessoa. De acordo com o britânico The Times, os médicos utilizaram pela primeira vez um método denominado transferência pronuclear. Esta não é, contudo, a primeira vez que nasce um bebé com ADN de três progenitores.

  • CIA desvenda segredos de quase 50 anos de História

    Mundo

    A CIA publicou online quase 12 milhões de documentos confidenciais. Basta uma ligação à Internet para navegar por entre 50 anos de relatórios outrora secretos. Entre os milhões de páginas, estão documentos sobre um eventual assassínio de Fidel Castro, detalhes sobre os crimes de guerra nazis, relatórios sobre avistamentos de OVNI e um estudo sobre telepatia denominado "Projeto Star Gate".