sicnot

Perfil

Mundo

Ministros dos Negócios Estrangeiros da UE reúnem-se com Líbia e Ucrânia na agenda

Os ministros dos Negócios Estrangeiros da União Europeia reúnem-se hoje e sábado em Riga numa reunião informal com a situação na Líbia, a crise na Ucrânia e as relações com a Rússia em cima da mesa. 

© Marko Djurica / Reuters

O encontro dos chefes da diplomacia dos 28 Estados-membros, em que Portugal estará representado pelo secretário de Estado dos Assuntos Europeus, Bruno Maçães, acontece na capital da Letónia, país que tem a presidência rotativa do Conselho da União Europeia (UE), e será presidido pela Alta Representante da União Europeia para os Negócios Estrangeiros, Federica Mogherini. 


A crise na Ucrânia e as relações tensas entre a União Europeia e a Rússia, na sequência do conflito entre o governo de Kiev e separatistas pró-russos serão dos principais temas a abordar. A União Europeia impôs sanções à Rússia na sequência do conflito e admite vir a alargá-las mais caso sejam violados "de modo flagrante" os acordos de paz acordados em fevereiro que deveriam terminar com os conflitos no leste da Ucrânia.


Desde início da violência separatista já morreram mais de 6.000 pessoas e vários milhares foram deslocados ou abandonaram as suas casas.
O encontro informal deverá ainda focar-se no conflito armado na Líbia, depois de esta semana a chefe da diplomacia da europeia ter alertado para a "queda livre" em que o país do norte de África se encontra, considerando esta crise a mais perigosa que se está a desenrolar nos países vizinhos a Sul da UE e com possíveis consequências "dramáticas" para a Europa.


O país permanece numa situação caótica e continua a manter dois parlamentos e dois governos rivais, um próximo da coligação de milícias Fajr Líbia e o outro reconhecido pela comunidade internacional e sediado em Tobruk, leste do país.


Nesta reunião informal entre os chefes da diplomacia será ainda preparada Cimeira da Parceria Oriental, que decorrerá em maio em Riga, e discutida a Política Europeia de vizinhança.


Lusa


  • Troika nem sempre protegeu os mais vulneráveis, conclui avaliação do FMI

    Economia

    O organismo de avaliação independente do FMI concluiu que as medidas aplicadas pela troika em Portugal nem sempre protegeram as pessoas com menos rendimentos, apontando que a primeira preocupação do Fundo era a redução dos défices, apurou o gabinete independente de avaliação do Fundo Monetário Internacional (FMI),

  • "A maioria das pessoas que criticou André Ventura nunca viveu esses problemas"
    3:43

    Opinião

    A polémica em torno das declarações do candidato do PSD à Câmara de Loures, André Ventura, sobre o modo de vida da etnia cigana no concelho, esteve em análise no Jornal da Noite desta segunda-feira. Miguel Sousa Tavares defende que "os problemas existem mas não podem ser generalizados". O comentador SIC considera, ainda assim, que André Ventura tem razão quando diz que "a maioria das pessoas que o criticou nunca viveu esses problemas".

    Miguel Sousa Tavares