sicnot

Perfil

Mundo

Duas novas drogas detetadas por semana na Europa em 2014

O observatório europeu da droga detetou em 2014 duas novas drogas por semana, num total de 101, mais 20 do que no ano anterior, o que confirma a tendência de aumento do número de substâncias notificadas anualmente. 

(Arquivo)

(Arquivo)

© Handout . / Reuters

Segundo informações hoje divulgadas pelo Observatório Europeu da Droga e da Toxicodependência (EMCDDA), o Sistema de Alerta Rápido da UE recebeu 101 notificações de novas substâncias psicoativas no ano passado, quando em 2013 foram 81, e encontra-se a monitorizar atualmente mais de 450 substâncias, mais de metade das quais identificadas apenas nos últimos três anos.

A lista de substâncias notificadas em 2014 revela novamente dois grupos predominantes, as catinonas sintéticas (31 substâncias), vendidas como substitutos legais das drogas estimulantes, e os canabinóides sintéticos (30 substâncias), vendidos em substituição da 'cannabis'.

Estes são os dois maiores grupos atualmente monitorizados pelo Sistema de Alerta Rápido, representando quase dois terços das novas drogas notificadas em 2014, revela o EMCDDA.

Os dados mais recentes relativos às apreensões sugerem um crescimento do mercado das novas substâncias psicoativas, demonstrando que, entre 2008 e 2013, o número de apreensões aumentou sete vezes a nível europeu. 

Em 2013, registaram-se na Europa cerca de 47.000 apreensões, correspondentes a mais de 3,1 toneladas de substâncias, principalmente canabinóides sintéticos (21.000 apreensões, 1,6 toneladas), mas também catinonas sintéticas (11.000 apreensões, 1,1 toneladas).

Segundo o EMCDDA, muitas das novas drogas são produzidas a granel por empresas químicas estabelecidas fora da Europa e depois transportadas por via aérea para a Europa, onde são processadas, embaladas e vendidas aos consumidores.

Além de monitorizar as novas drogas que entram no mercado, o Sistema de Alerta Rápido identifica os indícios de riscos graves e aciona as respostas necessárias. 

Só no ano passado foram emitidos 16 alertas de saúde pública, devido à presença de riscos graves, que exigiam medidas urgentes, e o Comité Científico alargado do Observatório realizou seis avaliações de risco.

Entre as preocupações de saúde pública destacadas no relatório figuram os novos opiáceos sintéticos --- muitas vezes de grande potência e vendidos como heroína a consumidores desprevenidos ---, que apresentam elevados riscos de 'overdose'. 

Três dos cinco opiáceos notificados em 2014 eram fentanis, uma família de drogas que já causou centenas de mortes na Europa e nos Estados Unidos.

A data de publicação deste relatório coincide com a abertura da 58ª sessão da Comissão de Estupefacientes (CND) das Nações Unidas, em Viena, na qual o EMCDDA participa juntamente com a delegação da UE.

 
Lusa