sicnot

Perfil

Mundo

Ministro da Justiça holandês demite-se por escândalo com secretário de Estado há 15 anos

O ministro da Justiça holandês demitiu-se hoje à noite na sequência de um escândalo de um acordo concluído há 15 anos pela procuradoria com um célebre traficante de droga, no montante de vários milhões de florins.

AP

"Houve, durante muito tempo, uma incerteza a respeito deste assunto", declarou o ministro Ivo Opstelten, durante uma conferência de imprensa, acrescentando: "Assumo toda a responsabilidade e acabo de apresentar a minha demissão ao rei". 

Opstelten e o seu secretário de Estado, Fred Teeven, anunciaram a demissão horas depois de o Ministério ter anunciado a descoberta da prova do montante exato pago na altura -- 4,7 milhões de florins (2,13 milhões de euros) -- ao traficante de droga Cees H.

Fred Teeven, que era o procurador envolvido, tinha concluído o acordo em 2000. Este previa o pagamento, através de contas no Luxemburgo, de milhares de florins, apreendidos durante as investigações. O dinheiro deveria ser entregue ao traficante sem que a administração fiscal fosse informada, segundo a imprensa holandesa, que avançou que se tratava de facto de lavagem de dinheiro.

Questionado em 2014 pelos deputados sobre o assunto, depois da difusão de uma reportagem sobre o assunto pela televisão pública holandesa NOS, Opstelten tinha então garantido que não havia provas disponíveis sobre esse acordo. 

Depois da difusão de novas reportagens, foi aberto um novo inquérito. 

"O inquérito não permitiu encontrar extratos bancários ou outros documentos mas tenho uma prova numérica que o montante de 4,7 milhões de florins foi transferido para Cees H.", acrescentou o ministro.

"Tenho pois de constatar que a informação existia e que deveria ter sido divulgada mais cedo", disse ainda. 

Esta demissão permite ao governo de Mark Rutte evitar um debate potencialmente embaraçante, previsto para terça-feira, a uma semana das eleições. 









Lusa
  • Morte de portuguesa no Luxemburgo afinal não aconteceu

    País

    A morte de uma portuguesa em Bettembourg, no sul do Luxemburgo, não terá acontecido. O Jornal do Luxemburgo avançou, esta manhã, que a emigrante portuguesa tinha sido baleada mortamente pelo filho, uma informação entretanto desmentida por outro jornal online. Segundo o Bom Dia Luxemburgo, o que aconteceu foi afinal uma rusga policial.

  • Estamos quase na hora de verão

    País

    Esta madrugada muda a hora. Quando for 1h00, os relógios adiantam para as 2h00. Será uma noite com menos tempo de sono, mas os dias vão ficar mais longos com o chamado horário de verão.

  • Hora do Planeta, apagam-se as luzes para despertar consciências
    2:19
  • Divorciados vão poder dividir filhos no IRS 

    Economia

    Os divorciados vão passar a poder dividir os filhos no IRS (imposto sobre o rendimento singular) e o Governo está a estudar soluções para que em 2018 haja um novo sistema para lidar com a guarda conjunta de filhos.

  • "Os governos são diferentes mas o povo é o mesmo"
    0:45

    Economia

    O Presidente da República atribui o resultado do défice do ano passado ao espírito de sacrifício do povo português. Num jantar em Coimbra para assinalar o Dia do Estudante, Marcelo Rebelo de Sousa considerou ainda que o valor do défice de 2016 é a prova de que com governos diferentes conseguem-se os mesmos objetivos.

  • Ataques aéreos dos EUA em Mossul podem ter causado a morte de 200 civis
    1:22
  • Pai do piloto da Germanwings defende inocência do filho

    Mundo

    O pai de Andreas Lubitz declarou esta sexta-feira que o filho não é o responsável pelo embate do avião da Germanwings contra um local montanhoso, que fez 150 mortos. O Ministério Público alemão concluiu em janeiro que o incidente em 2015 foi apenas da responsabilidade do piloto.

  • Quando o cancro chega por mero acaso
    1:55

    Mundo

    Cerca de dois terços das mutações que ocorrem nas células cancerígenas devem-se ao acaso, segundo um estudo da Universidade Johns Hopkins, nos Estados Unidos. Em Portugal, o Diretor do Programa Nacional Doenças Oncológicas alerta para a importância de um diagnóstico precoce e um estilo de vida saudável como forma de reduzir a fatalidade.